quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Ouvindo música no linux com bluetooth headset

Quer bancar o chique pro seus amigos, ouvindo música no Linux pelo fone bluetooth? Quer livrar-se daquela "fiarada" toda? Então esta dica é perfeita para você.

Vou explicar como fazê-lo. Não é nada difícil. Usarei como base o Ubuntu, e você poderá adaptá-la de acordo com sua distro.

Antes de mais nada, instale os pacotes necessários para que o bluetooth funcione em sua distro, o que não será visto aqui. Utilizei o pacote bluetooth mas deve ser possível com o blueman. Caberá a você testá-lo.

Eis o fone bluetooth genérico T9, xing-ling, que comprei:



Passos a seguir:

1) leia as instruções de funcionamento, ligue-o;
2) vá no applet bluetooth -> configurar novo dispositivo:



3) siga os passos abaixo:


leia as instruções e siga


escolha opção do dispositivo


selecione o fone e siga


conclua a operação


Abra seu player de som preferido e bote as músicas para tocar. Eu fi-lo com o rhythmbox. Inicialmente o som vai sair nas caixas de seu NoBo/PC. Para alterar para o fone bluetooth, proceda da seguinte forma:


1) vá no applet de som -> configurações de som:



2) clique na aba "saída" e escolha o fone bluetooth como dispositivo de saída:


Imediatamente você vai começar a ouvir o som pelo seu fone bluettoth. Não é nenhuma maravilha neste aparelhos limitados, mas dá para quebrar um galhão!

Até a próxima dica!
;-))

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Instalando os plugins para o gravador de cd/dvd brasero

Quem usa qualquer interface gráfica baseada em gtk (gnome, lxde, xfce) tem a disposição um excelente e simples gravador de cd/dvd chamado brasero

Sem muitas perguntas ele faz o que promete e é ideal para usuários que desconhecem ou não querem se aprofundar na arte que "queimar" mídias.

Ei-lo:


Mas para fazer bem feito o que propõe, todos os plugins devem estar presentes, os programas de presença obrigatória. Até o presente momento são:

* md5sum
* normalize-audio
* cdrdao
* dvdauthor
* vcdimager
* libdvdcss2
* dvdcss
* transcode
* wodin
* transcode2vob
* readom
* libisofs
* libburn
* growisofs
* dvd-rw-format
* criador de folder cd/dvd
* genisoimage

A grande maioria é instalada automaticamente, mas os plugins opcionais devem estar presentes de forma obrigatória, para não limitar a funcionalidade do programa.

No Ubuntu, Debian e distros derivadas, os repositórios multimídia deverão estar configurados no sources.list e para a instalação dos mesmos, faça na ordem:

ubuntu
$ sudo apt-get install normalize-audio transcode transcode-utils vcdimager \
   dvdauthor libdvdcss2 cdrdao gstreamer0.10-plugins-base

debian
$ sudo + senha de root
# sudo apt-get install normalize-audio transcode transcode-utils vcdimager \
   dvdauthor libdvdcss2 cdrdao gstreamer0.10-plugins-base

Nas demais distros deve-se procurar quais os pacotes contêm os programas acima e instalá-los segundo o procedimento padrão para elas.

Para saber se todos estão presentes,  abra o brasero e vá em editar -> plug-ins. Os que não estiverem marcados estão faltando, já que ficam ativos por padrão:


Até a próxima dica!
;-))

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Instalando plugin flash no Ubuntu 64 bits

Se você tem uma distro linux com 64bits e não existe um pacote pré-compilado nos repositórios, vou explicar uma forma genérica para instalar o flash nele.

Vá no site da Adobe, selecione o sistema operacional (Linux 64-bit) e a versão do player (Flash Player for other Linux (.tar.gz) 64-bit). Clique em "Baixe agora"

Vai ser baixado o arquivo install_flash_player_11_linux.x86_64.tar.gz:


Após o download, abra a pasta onde o plugin foi salvo, clique com o botão direito do mouse sobre ele e selecione "Extrair aqui". Caso seu pinguim não lhe dê esta opção, abra um terminal e digite o comando:

$ tar -xvzf install_flash_player_11_linux.x86_64.tar.gz

Será descompactado o plugin "libflashplayer.so" e sua instalação deverá ser feita a mão, pois não existe instalador para ele. Mas o procedimento é muito simples. No terminal, rode o comando abaixo:

ubuntu e derivadas
$ sudo mkdir -p /usr/lib/mozilla/plugins/
$ sudo mv libflashplayer.so /usr/lib/mozilla/plugins/ 

outras
$ su + senha de root + [enter] 
$ sudo mkdir -p /usr/lib/mozilla/plugins/
$ sudo mv libflashplayer.so /usr/lib/mozilla/plugins/ 

Respeite a arquitetura de seu pc. Não tente instalar o de 32 no de 64, ou vice-versa, que não funcionará. Reinicie seu navegador e teste o plugin no youtube.

Até a próxima dica!
;-))

terça-feira, 20 de setembro de 2011

Convertendo arquivos online para usar no linux

Se você trabalha com diversos tipos de arquivos, vai precisar acessar o conteúdo num formato ainda não suportado, ou que careça de um software decente para manuseá-lo, ou não esteja com muita paciência para procurar uma solução, o que fazer?

Muito simples: deixe os outros trabalharem para você!...

Para quem quer praticidade e conforto, com banda larga a disposição, nada melhor do que trabalhar online. É por essa razão indico o site http://www.online-convert.com, onde você pode fazer conversões entre formatos de áudio, vídeo, documentos, imagem, compressão, hash e ebook:
 
 
 

Basta indicar a URL do arquivo desejado ou fazer upload, que você o recebe de volta após ser processado.  Seu uso não tem mistério e realmente funciona.

Até a próxima dica!
;-))

sábado, 17 de setembro de 2011

Configurar wifi no Linux com o network-manager-gnome (parte II)

Na dica anterior mostrei como configurar sua rede wireless por meio do network-manager-gnome (NMG). Aquele método é o caminho mais complexo e, sabendo como fazê-lo, ninguém passa aperto.

Hoje vou explicar uma forma mais prática de obter o mesmo resultado, pois quem domina o mais complexo merece a canja de dominar o mais fácil...

O primeiro passo é ativar a placa wireless, usando inclusive o ndiswrapper se necessário. Com a interface wifi funcionante, todo o resto é moleza

Se você usa uma interface gráfica baseada em gtk (gnome, xfce ou lxde), o applet do NMG fica próximo ao relógio:



Clique nele com o botão esquerdo do mouse e veja quais redes wifi estão disponíveis:



Na imagem acima temos a rede "minha_rede". Você também poderá ser notificado das redes disponíveis, dependendo da distro que usar:



Se for aberta, ou seja, não exigir senha para entrar, basta clicar nela que o NMG irá fazer a conexão automaticamente. Se ele for encriptada, ao clicar na rede, vai aparecer a janela onde deverá ser inserida a senha correta. Sem ela, nada feito:



Observe que a encriptação mostrada é "WPA & WPA2 pessoal", previamente definida pelo ponto de acesso. Isso é automático. Basta preencher o campo:



Clique em "conectar" e espere a autenticação. Agora é só navegar e partir para o abraço...


ALGUMA CONSIDERAÇÕES SE A CONEXÃO FALHAR

Reveja a senha digitada, se todos os caracteres estão corretos. Atente-se para a tecla capslock. Mas o fator mais importante de todos é o alcance da placa wifi com driver para Linux. 

Pela experiência que tenho, há drivers que simplesmente não implementam todas as funcionalidades da placa. Haverá situações em que você só vai conectar perto do ponto de acesso (PA). Para esse problema, peça ajuda.

Se todos os passos foram feitos corretamente e a conexão não se faz ou cai a toda hora, e não é possível estar perto do PA, experimente configurar a placa com o ndiswrapper. Já resolvi inúmeros problemas com este recurso.

De mais, você pode sempre contar com ajuda especializada de usuários mais experientes.

Até a próxima dica!
;-))

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Configurar wifi no Linux com o network-manager-gnome (parte I)

Em dicas anteriores, mostrei como habilitar e configurar sua placa wifi no Linux em geral e também no Debian, com o ndisgtk.

Ora, o mais importante é fazer a sua placa wireless ser ativada, carregando o módulo correto para ela. E hoje em dia o suporte para este hardware é muito abrangente. Passando esta fase, o resto é moleza.

Na dica de hoje vou mostrar como configurar sua rede wifi usando o network-manager-gnome (NMG), ou seja, o gerenciador de rede do ambiente gráfico gnome.

O NMG encontra-se próximo ao relógio, como vê-se abaixo:


Clique nele com o botão esquerdo do mouse e vá em "editar conexões". Clique nele:



Vão aparecer cinco abas, que permitem gerenciar as conexões:


cabeada


wireless


3G


VPN


ADSL


Clique no botão "adicionar" e observe atentamente que vão aparecer mais quatro abas, a saber:

sem fio

Nesta aba você vai dar um nome que identifique facilmente a conexão, como "wifi da casa", "wifi do trabalho", e que não tem nada a ver como o nome da rede. Por exemplo: "wifi da casa" conecta-se na rede "minha_casa"; "wifi do trabalho", a "empresa_X". 

Os nomes das redes "minha_casa" e "empresa_X" são as identificações que os pontos de acesso divulgam na sua área de abrangência.

Em "Nome da conexão", coloque o nome identificador que facilite sua memória. Clique no botão que habilita o login automático ("conectar automaticamente") se assim o desejar. 

Em "SSID" você vai pôr o nome da rede (ex.: "minha_casa" ou "empresa_X"). 

No quadro "Modo", opte por "infraestrutura" se desejar conexão com ponto de acesso, ou ad-hoc para conectar-se diretamente a outra placa wifi. Os demais campos deixe em branco pois não são necessários.


encriptação da wifi

 Esta aba é importantíssima pois permitirá configurar o tipo de encriptação da rede, se for privada. Acima mostro os tipos disponíveis mas não explicarei sobre elas. Caso deseje mais informações, basta pesquisar no local adequado.

Se você for conectar-se a uma rede encriptada, deverá obter a senha de acesso diretamente com o administrador. Em uma rede aberta, basta optar por "nenhum".


configurações rede ipv4

Na aba referente ao ipv4 configure o modo "automático" por DHCP, onde o ponto de acesso distribui os endereços IP das estações, ou "manual", onde você deverá inserir os dados como IP, máscara de rede, gateway etc, o que também não será visto aqui.

O método mais comum é a distribuição de IP por DHCP, bastando deixar como opção "método automático DHCP". Já a aba sobre o ipv6 deixe inalterada, pois não tem função numa rede atual, com protocolo ipv4.

Preenchido todos os campos, não há mais nada a fazer a não ser fechar o NMG. Para fazer a conexão, basta estar no alcance de rede configurada.

Se você clicar novamente no ícone do NMG, próximo ao relógio, vai ver a que configurou. Clique sobre ela e espere a autenticação. Prontinho, nada mais resta a fazer a não ser navegar neste vasto mundo da internet.

Até a segunda parte desta dica!
;-))

domingo, 11 de setembro de 2011

Debian pede cd/dvd para instalar pacotes

Às vezes você quer instalar um pacote no Debian e ele pede o cd/dvd de instalação. Para desabilitar este recurso, basta fazer o seguinte: abra o arquivo /etc/apt/sources.list com seu editor de textos preferido, como root.

Basta apenas comentar a linha abaixo, que fica logo no começo do mesmo (exemplo):

deb cdrom:[Debian GNU/Linux 6.0.0 _Squeeze_ - Official i386 CD...

Ficando assm:

#deb cdrom:[Debian GNU/Linux 6.0.0 _Squeeze_ - Official i386 CD...

Salve e rode o update para atualizar a listagem de pacotes de seu Debian:

$ su + senha de root + [ENTER]
# apt-get update

Nunca mais ele vai pedir para inserir o cd/dvd de instalação e você simplifica sua vida com uma chatura a menos.

Até a próxima dica!
;-))

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Formatando unidades removíveis no linux com o gparted

Se você é um usuário iniciante e gostaria de formatar unidades removíveis no Linux, um aplicativo muito bom é o gparted.

Está presente em várias distros ou é facilmente instalável segundo o método padrão de cada uma. Nas distros derivadas do Debian e Ubuntu, faz-se da seguinte forma:

ubuntu
$ sudo apt-get install gparted

debian
$ su + [senha de root]
# apt-get install gparted


Na janela à direita você seleciona a unidade a ser formatada. Não se esqueça de que, se a sua distro estiver instalada no HD principal, a(s) partição(ões) será(ão) sempre /dev/sdaX (onde X=1, 2, 3... N). O pendrive ou HD externo seriam /dev/sdb, /dev/sdc etc, dependendo da quantidade deles conectados nas respectivas portas USB.

Escolha a unidade desejada e clique sobre ela com o botão direito do mouse:


Escolha a opção "formatar para" e selecione o tipode arquivo desejado:


Agora é só clicar no botão para iniciar a formatação:


Acabado o processo, feche o gparted e desconecte a mídia removível. Agora é só aproveitá-la para os mais diversos fins que sua mente imaginar.

Até apróxima dica!
;-))

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Instalar cliente VNC no Linux

Na dica anterior mostrei como configurar na mão um servidor VNC, método universal que serve para qualquer distro, permitindo utilizar este recurso mesmo que não tenha experiência com ela.

Hoje mostrarei como você instala e utiliza um cliente VNC, permitindo acesso remoto ao desktop linux com um servidor VNC.

Usarei como base o Ubuntu, e o cliente foi o gtkvncviewer, por ter uma interface mais simples. Mas pode-se usar qualquer uma, já que o fim é o mesmo.

Para instalá-lo:

ubuntu
$ sudo apt-get install gtkvncviewer

debian
$ su + senha de root + [enter]
# apt-get install gtkvncviewer

Ei-lo:


Abra-o pelo menu "Iniciar -> Internet" de sua interface gráfica preferida. Adicione o IP do servidor e a porta (5900, padrão):


O nome de usuário e senha são respectivamente os do login e a que definiu na configuração do servidor VNC. Depois é só clicar em gtk-conectar. Durante a conexão, aparecerá a janela abaixo até que o usuário no servidor autorize a mesma:


Autorizada a conexão, eis a imagem do servidor:


Prontinho, agora é só diversão. Pode fuçar a vontade e experimentar mais um recurso adicionado na sua rede Linux.

Até a próxima dica!
;-))

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Instalar servidor VNC no Linux

VNC é um recurso que possibilita acesso gráfico remoto a estações Linux e de outros sistema operacionais, para manutenção ou qualquer finalidade que se tenha em mente. O servidor VNC que usaremos é o vino, nativo para gnome. 

Vou explicar como proceder no gnome, lxde ou xfce. Vamos configurá-lo "na mão", assim você não passará aperto em uma distro que não tenha familiaridade. Não testei no KDE, nem no Gnome 3 e Unity. Isto ficará por sua conta. ;-)

O servidor permite ao computador ser visto por outro, mas não vê-lo. A emnos que no outro haja um servidor instalado. A viasualização remota-se dá-se sempre no sentido cliente -> servidor e nunca o contrário.


O primeiro passo é instalá-lo segundo o procedimento padrão para seu linux. Nas baseadas no Ubuntu e Debian, faça:

ubuntu
$ sudo apt-get install vino

debian
$ su + senha de root + [enter]
# apt-get install vino

O vino instala dois binários, vino-preferences e vino-passwd, e um arquivo que permite habilitar o serviço automaticamente após o login, o vino-server.desktop. Com eles é que vamos trabalhar.

Abra um terminal e chame o aplicativo vino-preferences:

$ vino-preferences





Após escanear a rede, basta configurar as opções segundo a janela do vino. As instruções são claras e de fácil implementação.

Chamamos a atenção para o item "Área de nofiticação -> sempre exibir um ícone", que justamente acrescenta-o na barra de notificação do gnome, lxde ou xfce, por onde acessa-se as mesmas opções mostradas acima:



Quando um cliente VNC tenta uma conexão, o servidor dispara o alerta abaixo, podendo-se aceitá-la ou não:



Nesta dica explicamos como instalar o servidor VNC numa distro Linux. Na próxima explicaremos como instalar o cliente VNC para visualização remota de desktops.

Até lá!
;-))