segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Instalando o Linux Mint Debian Edition (LMDE)

Na dica de hoje vou explicar como instalar o Linux Mint Debian Edition, o famoso LMDE, um Mint baseado no Debian testing, em vez do Ubuntu.

É uma distro rolling release, ou seja, por se basear numa versão instável do Debian, há atualizações constantes diariamente, podendo haver mudanças radicais a nível de seu funcionamento como da interface.

Isso é verdade principalmente agora que está havendo uma migração do Gnome 2 para o 3, podendo ocorrer um crach de seu sistema se as atualizações não forem bem conduzidas.

Mas como isso não é um foco deste trabalho, não será abordado nesta dica. Você pode obter uma imagem do LMDE aqui, mas não explicarei como gravá-la. Para isso, obterá ajuda aqui.

INSTALAÇÃO

Configure seu computador para dar boot pelo cd/dvd, coloque a mídia no drive e espere carregar o sistema operacional. Esta fase é automática.

Cique duas vezes no botão "Install linux mint":


Escolha a língua portuguesa:


Escolha seu fuso horário:


Teste a opção padrão de teclado, para o ANT2 do Brasil:


Se houver mais de um HD, escolha o que deseja instalar o mint:


A seguir aparece uma representação gráfica do HD escolhido. Na imagem abaixo vou reaproveitar as partições de uma distro anterior, mas você fazer a partição que quiser. O mínimo é uma swap e a base, "/". Clique em "Edit partitions":



Vai aparecer o editor de particionamento, o gparted. Clique em todas as partições com o botão direito do mouse -> delete. Faça isso com todas as partições em cores diferentes:


Com o disco limpo, clique nele com o botão direito do mouse e escolha uma nova partição. Em "Create New Partition" ponha o tamanho desejado no "New Size (MiB)". Defina a partição ("primary partition") e o nome (aqui, "boot"). Clique em "Add":


Repita o procedimento para a partição swap:


Você pode criar uma partição lógica ("Extended partition"), com todo o espaço disponível:


Resta criar as partições raiz "/" e também a dedicado ao único usuário do sistema:



Clique na seta abaixo para que as alterações tenham efeito. Daqui em diante o processo é irreversível:





Clique em "Refresh" para o instalador carregar o novo particionamento:


Clique em cada uma das partições como botão direito do mouse e repita as operações, indicando o ponto de montagem e o tipo de arquivo:




Preencha a seguir os dados pedidos:


Defina onde o grub, gerenciador de boot, será instalado.Pode aceitar a indicação padrão:


Confira as informações do instalador, clique em "Install" e espere o sistema terminar seu trabalho:




Terminado o trabalho, reinicie o computador e retire o dvd do drive.


Até a próxima dica!
;-))

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Um ou mais elementos necessários do gstreamer estão faltando: gconfaudiosrc, gconfvideosinc

Se aparecer esse erro no seu linux, ao ligar sua webcam para usá-la com o cheese:


Pesquisei no site do Debian e Ubuntu e descobri que os arquivos de configuração gconfaudiosrc e gconfvideosinc fazem parte do pacote gstreamer0.10-gconf

Então você deverá instalá-lo na sua distro preferida de acordo com o procedimento padrão para ela, a fim de corrigir o erro.

Lembrando que em outros pinguins o nome do pacote pode ser diferente, e cabe a você escolher o que for equivalente para a instalação.

Até a próxima dica!
;-))
 

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Atualização automática do firefox no linux

Quase todas as distribuições linux liberam uma versão própria do firefox, disponível em repositório oficial. Mas isso não significa que todos os recursos estão disponíveis.

O da atualização automática, encontrado somente nas versões oficiais, é removido para que a atulização entre versões ocorra somente onde, quando e como os mantenedores desejarem.

Embora evite problemas de compatibilidade e permita um controle eficaz sobre as atualizações do sistema, a atualização automática pode dar um susto daqueles em quem usa uma versão da própria mozilla.

Se você usa um navegador deste tipo, vá em "editar -> preferências -> avançado -> atualizações:


 Você pode habilitar ou não este recurso, fica a seu gosto. Sempre que houver uma versão nova, ela vai ser baixada automaticamente para seu computador.

Até a próxima dica!
;-))

sábado, 19 de novembro de 2011

Digitar a senha para desbloquear o chaveiro de login

Toda vez que você loga no pinguim aparece esta mensagem? Está de sac... cheio? Seus problemas "se acabaram-se"! Basta apenas digitar o comando abaixo, no terminal:

ubuntu e derivadas
$ sudo rm -rf ~/.gnome2/keyrings

outras distros
$ su + senha de root + [enter]
# cd /home/seu_login
# rm -rf ~/.gnome2/keyrings

Isso vai desbloquear o chaveiro de sessão para sempre, livrando-o desta chatice!

Até a próxima dica!
;-))

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Release file for http://debian.linuxmint.com/latest/dists/testing/InRelease is expired...

Se você tentou atualizar o apt do linux mint debian editon (LMDE) e apareceu um erro como:

Release file for http://debian.linuxmint.com/latest/dists/testing/InRelease is expired (invalid since XXd YYh ZZmin WWs). Updates for this repository will not be applied.

A correção é muito fácil. Faça no terminal, na ordem:

$ su + senha de usuário + [enter]
# nano /etc/apt/apt.conf.d/80mintupdate-debian

Acrescente a seguinte linha: Acquire::Check-Valid-Until "false"; e rode o comando "apt-get update" sem problemas! Tudo vai transcorrer normalmente, sem sobressaltos, do jeito que você gosta.

Até a próxima dica!
;-)

domingo, 13 de novembro de 2011

Transferindo arquivos do linux para o celular via bluetooth

Na dica de hoje vou explicar como transferir um arquivo do linux para um celular, via bluetooth. Primeiramente certifique-se de que os pacotes abaixo, ou seus equivalentes, estejam instalados:

  • bluetooth
  • bluez
  • bluez-alsa
  • bluez-audio
  • bluez-btsco
  • bluez-compat
  • bluez-cups
  • bluez-gstreamer
  • bluez-hcidump
  • bluez-utils
  • obexftp
  • gnome-bluetooth
  • obex-data-server
  • obexd-client
  • obexftp

No painel, perto do relógio, fica o applet do bluetooth:


Ative o bluetooth de seu celular, tornando-o visível. Faça o mesmo com o do linux, clicando no applet com o botão direito do mose -> visível

Aguarde 60 segundos e clique novamente no applet com o botão direito do mouse -> configurar novo dispositivo:

ao abrir esta janela, avance

espere a detecção do celular

digite o código no celular

feche a janela

Agora vamos transferir um arquivo qualquer para teste. Vá novamente no applet -> enviar arquivos para o dispositivo. Navegue até o arquivo desejado, clique sobre ele e depois em abrir. Selecione o celular desejado  e 

clique em Enviar para

No celular vai aparecer um aviso para que confirme a transferência. É só dar "ok" e esperá-la terminar. Pronto, arquivo enviado com sucesso!

Até a próxima dica!
;-))

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

O Dynamic MMap ficou sem espaço. Por favor aumente o tamanho de APT::Cache-Limit.

Se aparecer o erro "O Dynamic MMap ficou sem espaço. Por favor aumente o tamanho de APT::Cache-Limit. Valor actual: 12345678. (man 5 apt.conf)" ao atualizar o cache do apt:

# apt-get update

Resolva o problema aumentando o tamanho do cache em /var/cache/apt, com apenas um pequeno cálculo. Imagine que o valor "12345678" seja "25165824" (aproximadamente 25MB). Dividindo-o por 1024 (1MB):

25165824 : 1024 = 24.576

Vamos aumentar o "24576" para "60000" (60MB, exemplo) e multiplicar pelo mesmo 1024:

60000 x 1024 = 61.440.000

Agora é só atualizar o cache com o comando abaixo:

ubuntu e derivadas
$ sudo apt-get update -o APT::Cache-Limit=61440000

debian e derivadas
$ su + senha de root + [enter]
# apt-get update -o APT::Cache-Limit=61440000

Você pode um resultado similar rodando o comando:

# apt-get clean

Mas nesse caso perderá todos os pacotes armazenados em /var/cache/apt/archives. Caso queira fazer um becape para emergências, salve-os num lugar qualquer e grave num cd ou pendrive. Depois remova-os do cache.

Para que o cache não volte ao valor antigo, ponha o comando "apt-get update -o APT::Cache-Limit=61440000" no arquivo  /etc/rc.local:

# aumentando o cache do apt
apt-get update -o APT::Cache-Limit=61440000

Pronto, problema resolvido.

Até a próxima dica!
;-))

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

phy0 -> rt2x00lib_request_firmware: Error - Failed to request Firmware.

Se você tem placa wi-fi da ralink e não consegue "subi-la" na sua distro, pode ser por falta do firmware da placa, código binário que não vem no kernel do Debian e outras distros baseadas nele.

Para sabermos se você é um feliz usuário que se encontra nesta situação, ligue sua placa e depois rode o comando abaixo com o root:

$ dmesg | grep rt

Se aparecer mensagem como a de baixo:

phy0 -> rt2x00lib_request_firmware: Error - Failed to request Firmware.

Você terá que procurar o firmware nos repositórios da distro e instalá-lo. No Debian e derivadas, exceto Ubuntu, o comando é (na ordem):

# apt-get firmware-ralink
# rmmod módulo_de_sua_ralink
# modprobe módulo_de_sua_ralink

Imagine que o driver seja o rt73usb:

# apt-get firmware-ralink
# rmmod rt73usb
# modprobe rt73usb

O firmware será carregado automaticamente e resta apenas configurar a conexão. Mas se a sua distro não o tiver, como proceder? Aí é só na base da gambiarra e pode ser que dê certo.

Se não der, aí só mudando de pinguim. Então vamos lá. Abra um terminal e descubra qual a versão de seu kernel:

$ uname -r
2.6.38-11-generic-pae

Agora vá no site do Debian e baixe o pacote firmware-ralink para aversão do kernel mais próxima do seu. O da versão estável, no momento da publicação desta dica, é o que se encaixa no que procuramos.

Basta fazer o download, desempacotar o arquivo com o botão direito do mouse ("extrair aqui") e copiar os binários para /lib/firmware ou /lib/firmware/2.6.38-11-generic-pae (exemplo).

Para isso, faça na ordem, como root:

# cd firmware-ralink_0.33_all/lib/firmware
# cp rt* /lib/firmware/

ou

# cp rt* /lib/firmware/2.6.38-11-generic-pae

Agora é só ativar o firmware no carregamento do driver da placa wi-fi, como já visto:

# apt-get firmware-ralink
# rmmod módulo_de_sua_ralink
# modprobe módulo_de_sua_ralink

no caso do rt73usb:

# apt-get firmware-ralink
# rmmod rt73usb
# modprobe rt73usb

O pacote firmware-ralink do debian contém os binários para os drivers: rt2561,  rt2561s,  rt2661, rt2860, rt2870, rt3070, rt3071, rt3090 e rt73.

Você instalar o pacote deb e também é possível tentar o mesmo procedimento com outros firmwares do Debian, mas não testei essas possibilidades. Então fica por usa conta e risco!

Não garanto que vá funcionar para você mas não custa nada tentar. Independentemente do tipo de distro (deb, tgz, rpm), o enpacotamento é apenas o que difere entre elas, no fundo, no fundo. 

Se os binários foram compilados como a mesma versão do gcc, pode dar certo na sua distribuição. Teste e veja se dá certo.

Até a próxima dica!
;-))

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Wifi Encore N300 USB no linux com driver nativo

Na dica anterior expliquei como instalar a placa Encore N300 USB (ENUWI-2XN4x) com o ndiswrapper e sua interface gráfica, ndisgtk.

E também prometi divulgar a dica de como usar o driver nativo. Pois bem, depois de muita procura na internet, vou mostrar-lhes como compilá-lo, para que ela funcione na sua distro preferida.

Esta placa usa o driver 8192cu fornecido pela própria realtek. No Ubuntu, o driver nativo rtl8192cu não funciona. Nas outras distros você vai ter de achar a resposta.

Os passos aqui referem-se ao Ubuntu 11.04 (natty) com kernel da série 2.6.X, o linux-image-2.6.38-12-generic. Também consegui compilá-lo na versão 3.0 do kernel.

Vamos lá, deixemos de papo furado. Em primeiro lugar instale os headers de seu kernel e os pacotes para compilação:

ubuntu e derivadas
$ sudo apt-get install linux-headers-2.6.38-12-generic build-essential

debian e derivadas
$ su + senha de root + [enter]
# apt-get install linux-headers-2.6.38-12-generic build-essential

outras distros
# usem os respectivos gerenciadores de pacotes

Agora baixe o driver no site da realtek. No momento a versão mais recente é a 3.1.2590, que compila no kernel 2.6.38 ou maior. Se a página der problema, baixe-o daqui.

Para compilar o módulo, siga os comandos abaixo na ordem:

$ unzip RTL8192CU_linux_v3.1.2590.20110922.zip
RTL8192CU_8188CUS_8188CE-VAU_linux_v3.1.2590.20110922

$ cd RTL*22/driver
$ tar -xvzf rtl8192_8188CU_linux_v3.1.2590.20110922.tar.gz
rtl8192_8188CU_linux_v3.1.2590.20110922

$ cd rtl*22
$ make

Último passo, instalando o driver 8192cu:

ubuntu e derivadas
$ sudo make install

debian, derivadas e outras 
# make install

Antes de carregar o driver correto, acrescente o driver rtl8192cu no final do arquivo /etc/modprobe.d/blacklist.conf, assim: 

# driver rtl8192cu
blacklist rtl8192cu


Agora o que interessa, ativando a placa. Para isso, espete a Encore N300 na porta usb, espere 30 segundos e faça:

ubuntu e derivadas
$ sudo modprobe 8192cu
$ sudo ifconfig wlan0 up   <------ se for placa wifi única
ou
$ sudo ifconfig wlan1 up   <------ se for a 2a placa wifi

debian, derivadas e outras
# modprobe 8192cu
# /sbin/ifconfig wlan0 up   <------ se for placa wifi única
ou
# /sbin/ifconfig wlan1 up   <------ se for a 2a placa wifi

Se tudo correu bem, você vai poder ver a interface de rede ativa na placa Encore N300. Basta usar o comando ifconfig para isso.


NO KERNEL DA SÉRIE 3.X


Para que o driver compile no kernel da série 3.X, crie o link abaixo segundo o exemplo dado. Para isso, utilizaremos o 3.0.0-12-generic:

ubuntu e derivadas
$ sudo ln -s /usr/src/linux-headers-3.0.0-12-generic/include/linux/smp.h /usr/src/linux-headers-3.0.0-12-generic/include/linux/smp_lock.h

debian, derivadas e outras
# ln -s /usr/src/linux-headers-3.0.0-12-generic/include/linux/smp.h /usr/src/linux-headers-3.0.0-12-generic/include/linux/smp_lock.h

Para que o driver seja carregado a cada boot e a interface de rede ativada, coloque-o no final do arquivo /etc/modules:

# driver Encore N300
8192cu

Até a próxima dica!
;-))

terça-feira, 1 de novembro de 2011

Wifi Encore N300 USB no linux com ndisgtk

Precisei comprar uma placa wireless usb e a disponível foi a Encore N300 USB adapter, que mostro abaixo:



Como o suporte a este dispositivo está bem avançado no linux, não recorri à tradicional pesquisa de compatibilidade. Apesar de ser um risco calculado meia-boca, espetei lá na porta usb e... nada!

Devolver o produto não dava pois o "erro" não existia com o hardware e o jeito foi resolver a pemba de alguma forma. 

Uma boa pesquisada na internet mostrou que o chip é o realtek rtl8192cu, e este driver existe no Ubuntu (e provavelmente em outras distros). Carreguei o mesmo e tentei "subir" a placa... sem êxito.

A solução mesmo veio com o bom e velho ndisgtk e já expliquei anteriormente sua utilização. Leia a dica pois não vou fazê-lo aqui. Use o método padrão de sua distro para instalá-lo.

O driver que funciona com este chip é o do windows xp, que disponibilizo para download aqui. Basta baixá-lo para seu computador e configurá-lo com o ndisgtk.

Esta é uma solução temporária, ao menos para mim. Estou pesquisando na internet como ativá-la com o driver nativo e, assim que o conseguir, postarei a dica aqui no blog.

Até lá.
;-))