domingo, 29 de abril de 2012

need PK compat. v5.1 (can do v4.6)

Se esse erro ocorrer, significa que não é possível descompactar um arquivo com senha na versão mais nova de sua distro predileta.

A única solução disponível até o momento é fazer o procedimento na mão, sendo que testei apenas no Ubuntu, Debian e derivadas destas distros.

Você pode tentar nas outras, desde que procure os programas equivalentes com os mesmos executáveis. Instale-os como mostro abaixo:

Ubuntu e derivadas
$ sudo apt-get install lha arj rar zoo p7zip p7zip-full p7zip-rar unace unrar \
   unace-nonfree unrar-free

Debian e derivadas
$ su -
# apt-get install lha arj rar-2.80 zoo p7zip p7zip-full p7zip-rar unace unrar \
   unace-nonfree unrar-free

Agora descompacte os arquivos no terminal:

$ 7z e arquivo_compactado_e_encriptado.zip
7-Zip 9.20  Copyright (c) 1999-2010 Igor Pavlov  2010-11-18
p7zip Version 9.20 (locale=pt_BR.UTF-8,Utf16=on,HugeFiles=on,2 CPUs)
Processing archive: arquivo_compactado_e_encriptado.zip

Extracting 
arquivo_compactado_e_encriptado
Enter password (will not be echoed) : digite_a_senha_de_encriptação_aqui 

Everything is Ok
Size: ...
Compressed: ...


Agora é só abrir o arquivo descompactado com o programa correspondente: gimp, libreoffice etc.

Até a próxima dica!
;-))

terça-feira, 24 de abril de 2012

Xfburn: excelente gravador de cd/dvd para linux

Sem muitas delongas, se quer um gravador de cd/dvd leve, compacto, simples de usar e sem firulas e frescuras, indico o xfburn.

Ele é padrão do ambiente gráfico xfce mas pode ser usado em qualquer interface gráfica. Tem poucas e leves dependências, rodando macio até num pc/NoBo mais modesto:


Basta clicar numa das opções, selecionar o(s) arquivo(s) desejados e partir para o abraço. Não tem nenhuma configuração a ser feita.

Tudo é automático e facilita muito a vida de quem não entende, ou não quer, ou não tempo, para entrar neste fascinante mundo da gravação de mídias.

Use o método padrão de sua distro para instalá-lo. É figurinha fácil nos repositórios e demora pouco para baixá-lo, mesmo nas conexões mais lentas.

Até a próxima dica!
;-))

quinta-feira, 19 de abril de 2012

Adicionando imagem de fundo no grub

Você pode melhorar um pouco a apresentação do GRUB, gerenciador de boot do linux, colocando uma imagem de fundo e acabando com aquele preto-deprimente que aparece no boot:


Primeiramente descobriremos as resoluções/profundidade de cor suportado pelo framebuffer. Faça como superusuário:

# hwinfo --framebuffer
...
Mode 0x0305: 1024x768 (+1024), 8 bits
Mode 0x0317: 1024x768 (+2048), 16 bits
Mode 0x0318: 1024x768 (+4096), 24 bits
Mode 0x0312: 640x480 (+2560), 24 bits
Mode 0x0314: 800x600 (+1600), 16 bits
Mode 0x0315: 800x600 (+3200), 24 bits
Mode 0x0301: 640x480 (+640), 8 bits
Mode 0x0303: 800x600 (+832), 8 bits
Mode 0x0311: 640x480 (+1280), 16 bits


A máxima suporta é 1024x768, 24 bits de cor. É a que utilizaremos na configuração do gerenciador de boot.

Escolha uma imagem bem bonita, em formato jpg (mais leve) ou png (mais pesada), salve-a num diretório qualquer (ex.: /etc/backgrounds) e abra um terminal. 

Rode o comando abaixo, também como superusuário, para alterar o arquivo de configuração do tema:

# nano /etc/grub.d/05_debian_theme
No final do arquivo, altere a linha da seguinte forma:

ANTES
if set_background_image "/usr/share/images/desktop-base/desktop-grub.png"; then

DEPOIS
if set_background_image "diretório_da_sua_imagem.jpg"; then

Agora vamos alterar o arquivo de configuração do próprio grub. Também como superusuário, rode o comando:

# nano /etc/default/grub

Acrescente a seguinte linha, no local apropriado (fácil de ser localizado):

ANTES
# The resolution used on graphical terminal
# note that you can use only modes which your graphic card supports via VBE
# you can see them in real GRUB with the command `vbeinfo'
#GRUB_GFXMODE=640x480

DEPOIS
# The resolution used on graphical terminal
# note that you can use only modes which your graphic card supports via VBE
# you can see them in real GRUB with the command `vbeinfo'
GRUB_GFXMODE=1024x768

Pronto, agora o momento final: atualizar as configurações do grub para que a imagem apareça no início:

# update-grub
Generating grub.cfg ...
Found background image:
diretório_da_sua_imagem.jpg
Found linux image: /boot/vmlinuz-3.1.0-2-generic
Found initrd image: /boot/initrd.img-3.1.0-2-generic
done

Se a sua distro não possuir o arquivo "05_debian_theme", basta editar o arquivo /etc/default/grub, inserindo a linha abaixo:

ANTES
GRUB_DEFAULT=0
GRUB_HIDDEN_TIMEOUT=0
GRUB_HIDDEN_TIMEOUT_QUIET=true
GRUB_TIMEOUT=10
GRUB_DISTRIBUTOR=`lsb_release -i -s 2> /dev/null || echo Debian`
GRUB_CMDLINE_LINUX_DEFAULT="quiet splash"
GRUB_CMDLINE_LINUX=""
GRUB_BACKGROUND=/etc/wallpapers/wallpaper138.jpg

DEPOIS
GRUB_DEFAULT=0
GRUB_HIDDEN_TIMEOUT=0
GRUB_HIDDEN_TIMEOUT_QUIET=true
GRUB_TIMEOUT=10
GRUB_DISTRIBUTOR=`lsb_release -i -s 2> /dev/null || echo Debian`
GRUB_CMDLINE_LINUX_DEFAULT="quiet splash"
GRUB_CMDLINE_LINUX=""
GRUB_BACKGROUND=
"caminho_para_sua_imagem_aqui"

Após fazer quaisquer das modificações acima, rode este comando como superusuário:

# update-grub

Prontinho, no próximo boot aparecerá a imagem que você escolheu.

Até a próxima dica!!!
;-))

sábado, 14 de abril de 2012

Dicionário pt_BR para correção ortográfica no linux

Para que o Firefox e libreoffice/broffice/openoffice possam fazer correção ortográfica dos textos, instale o dicionário específico para sua língua. 

No caso do português brasileiro, instale o wbrazilian segundo oprocedimento padrão da distro. Depois selecione-o no terminal, com o comando:

# selec-default-wordlist

Aparecerá uma imagem como esta:


Selecione o idioma desejado com as estas direcionais "para cima"/"para baixo" e tecle em "OK" com a tecla [Tab].

Reinicie a interface gráfica e pronto! Todos os programas suportador vão utilizá-lo para correção ortográfica.

Até a próxima dica!
;-))

segunda-feira, 9 de abril de 2012

Linux: selecionando o dicionário pt_BR para o ispell

A grosso modo, o ispell é um corretor ortográfico que faz a análise da grafia digitada os textos que você produz. Faz uso de vários dicionários, que podem ser instalados separadamente.

Para instalá-lo no seu linux, use o procedimento padrão da distro. Os arquivos necessários são o ispell e o ibrazilian, no caso do português falado no Brasil.

Terminado o procedimento, faça no terminal como root ou super-usuário:

# select-default-ispell

Vai aparecer a imagem abaixo:


Selecione o idioma desejado com as estas direcionais "para cima"/"para baixo" e tecle em "OK" com a tecla [Tab].

Reinicie a interface gráfica e pronto! Todos os programas suportador vão utilizá-lo para correção ortográfica.

Pode-se também utilizá-lo diretamente no terminal, com o comando:

$ ispell arquivo.txt

Cada palavra será analisada e oferida sugestões para correção, que você pode aceitar ou não.

Até apróxima dica!
;-))

quarta-feira, 4 de abril de 2012

Desabilitando terminais virtuais no linux

Terminais virtuais são áreas de trabalho completamente independente de outras, acessadas local ou remotamente por ssh, telnet, rlogin, , ftp, rsh etc, acessadas por ALT+F1-F6 no seu computador. F7 retorna à original.

Isso permite logins como usuários distintos e se alguém souber a senha de root do seu computador, babau! Por isso é importante deixar ativas somente duas delas, suficiente para suas necessidades.

Há três maneiras de se desativar terminais virtuais, dependendo do linux utilizar o upstart ou o sysvnit. No caso do systemD, leia esta dica.

No primeiro caso, os arquivos a serem alterados localizam-se em "/etc/init" e vão de tty1.conf a tty6.conf. No segundo, modifica-se o inittab no diretório "/etc".

Para saber qual sistema seu pinguim usa, basta fazer este comandinho no terminal:

UPSTART
$ cat /etc/init/tty1.conf
# tty1 - getty
#
# This service maintains a getty on tty1 from the point the system is
# started until it is shut down again.

start on stopped rc RUNLEVEL=[2345]
stop on runlevel [!2345]

respawn
exec /sbin/getty -8 38400 tty1


SYSVINIT
$ cat /etc/init/tty1.conf
cat: /etc/init/tty1.conf: Arquivo ou diretório não encontrado


Então comecemos a trabalhar. Com o upstart instalado, você vai editar os arquivos tty3 a tty6. Novamente no terminal, faça:

$ sudo nano /etc/init/tty{3,4,5,6}.conf

e altere as linhas abaixo:

ANTES
start on runlevel [23]
stop on runlevel [!23]

respawn
exec /sbin/getty -8 38400 tty3

DEPOIS
stop on runlevel [23]
stop on runlevel [!23]

#respawn
#exec /sbin/getty -8 38400 tty3


Nas distros com o sysvinit dando as ordens, edite o arquivo /etc/inittab como mostro abaixo:

ANTES
#
1:2345:respawn:/sbin/getty 38400 tty1
2:23:respawn:/sbin/getty 38400 tty2
3:23:respawn:/sbin/getty 38400 tty3
4:23:respawn:/sbin/getty 38400 tty4
5:23:respawn:/sbin/getty 38400 tty5
6:23:respawn:/sbin/getty 38400 tty6

DEPOIS
#
1:2345:respawn:/sbin/getty 38400 tty1
2:23:respawn:/sbin/getty 38400 tty2
#3:23:respawn:/sbin/getty 38400 tty3
#4:23:respawn:/sbin/getty 38400 tty4
#5:23:respawn:/sbin/getty 38400 tty5
#6:23:respawn:/sbin/getty 38400 tty6

Reinicie o computador/NoBo e faça um teste: você só acessará os terminais virtuais tty1 e tty2, em ambas as situações.

Até a próxima dica!
;-))