domingo, 21 de dezembro de 2014

Convertendo entre arquivos *.img e *.iso no linux

Vai uma dica que descobri no susto: como converter um arquivo *.img em *.iso. Usei o comando dd e deu certo.

Pode-se usá-lo para fazer uma cópia de uma mídia ou HD ou partição. Podemos também converter entre os formatos acima. Para isso faça, no terminal:

$ dd if=origem-da_imagem.img of=destino_da_imagem.iso

ou

$ dd if=/home/antonio/arquivo.img of=/home/antonio/arquivo.iso

Confira o resultado final checando o md5 dos mesmos (exemplo):

$ md5sum arquivo.img
302f51dff914bfa71268ed57778fe2a6 arquivo.img

$ md5sum arquivo.iso
302f51dff914bfa71268ed57778fe2a6 arquivo.iso

Até a próxima dica!
;-))

segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

Desabilitando o google-chrome no kwallet

Na dica de hoje vou explicar com desabilitar o google-chrome no kwallet, o gerenciador de senhas do KDE4.

O kwallet é o responsável pelo armazenamento centralizado de senhas, com cripgrafia, chamados de "carteiras".

O google-chrome pode usá-lo para o armazenamento destes dados para login, necessitando-se de digitar a senha do kwallet cada vez que se abre o browser:


Isso é uma chateação sem fim e, como não há uma forma padrão para se resolver o problema, vai a dica que serviu para mim, depois de muito pesquisar na internet.

Abra um terminal e, com seu editor de texto preferido, edite o arquivo kwalletrc como mostro a seguir:

$ nano ~/.kde/share/config/kwalletrc

Acrescente a parte em vermelho, relacionada ao navegador google-chrome:

ANTES
[Auto Allow]
kdewallet=kwalletmanager,Gerenciador de carteiras do KDE

[Auto Deny]
kdewallet=
(...)


DEPOIS
[Auto Allow]
kdewallet=kwalletmanager,Gerenciador de carteiras do KDE

[Auto Deny]
kdewallet=Google Chrome
(...)

Salve a alteração realizada e, no mesmo terminal, reinicie o daemon kwalletd, que roda em segundo plano no KDE4:

$ killall -9 kwalletd

O que fizemos foi permitir que o google-chrome acesse a carteira do kwallet sem necessidade de digitar a senha deste. Se você é o único usuário de seu computador, não há nada demais neste procedimento.

Até a próxima dica!
;-))

quinta-feira, 27 de novembro de 2014

Windows não reconhece wifi do roteador TP-LINK TD-W8951ND

Embora este blog seja sobre linux, não posso deixar de abrir uma exceção e explicar como resolver o bug do windows não reconhecer o sinal wifi do roteador TP-LINK TD-W8951ND.

É que configurei o mesmo, pelo ubuntu, sem maiores problemas. Tudo conectava: o linux, o android, o windows phone, a geladeira, o liquidificador, o cachorro da vizinha... menos o pestilento do windows, que está em um dos computadores da minha rede. ;-(

A solução é bem fácil: entre nas configurações, seguindo o manual de instruções, e vá diretamente na página "interface setup -> Access Point Settings -> Channel". Nela, não altere o nome do país! Deixe o padrão, ou "United States". Tem um bug no firmware, ou no windows, que não reconhece a localização do Brasil.

Não sei se atualizando o firmware resolve o problema, pois o roteador não aceitou o procedimento, mesmo usando o arquivo padrão!


Até a próxima dica... sobre linux!
;-)

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Instalando o programa paup4b10-x86-linux no linux

Na dica de hoje explico como instalar o programa paup4b10-x86-linux em qualquer distribuição linux.

Ele tem por função "estabelecer relações de parentesco entre organismos diferentes, baseado nas análises de DNA, a partir de proteínas, cromossomos, e outros parâmetros". Também é conhecido como "parsimony".

Deixemos de lero-lero e vamos direto ao assunto. Baixe o aplicativo clicando aqui. Geralmente é salvo na pasta "Downloads" ou outra que você configurou no seu navegador. No meu caso foi em "Meus downloads". Veja:


O importante é saber onde ele foi baixado. Agora vá na respectiva pasta e descompacte o programa com o botão direito do mouse -> "extrair aqui":



Agora mudaremos o nome do programa, para ficar mais fácil trabalhar com ele. Clique com o botão direito do mouse sobre o arquivo paup4b10-x86-linux -> "Renomear" e troque por "paup" (sem aspas):



Agora vamos dar permissão de execução ao programa paup. Isso permitira que o ele funcione, ou seja, possa ser usado no seu computador. Clique nele novamente com o botão direito do mouse -> "Propriedades - aba Permissões":



Agora marque a opção "Permitir a execução do arquivo como um programa" e feche a janela. 


Agora abra um terminal na mesma pasta onde está o executável (=programa), usando mais uma vez o botão direito do mouse:



Neste mesmo terminal, escreva o comando abaixo para certificar-se de que está no mesmo diretório do programa:

$ ls paup

Veja:


Agora vamos movê-lo para o diretório /usr/local/bin, onde será executado toda a vez que se precisar. Para isso digite as linhas abaixo, dando [ENTER] logo após:

$ sudo mv paup /usr/local/bin

O linux pedirá que digite a senha de usuário. Após este passo, o programa estará no diretório indicado. A partir de agora, para usar o programa, basta abrir um terminal e digitar:

$ paup

Até a próxima dica!
;-))

terça-feira, 11 de novembro de 2014

Configurando internet wireless no gnome-shell 3.12

Na dica anterior expliquei como configurar a internet wireless no gnome-shell 3.10. Na de hoje, mostro como fazê-lo na versão 3.12 recém lançada.

Abaixo a aparência geral do gnome 3.12:


Clique no botão indicado abaixo para acessar as configurações de rede:


Clique em "wifi" -> "selecionar rede", selecione a rede e insira a senha, se houver:






Chegando até aqui, já pode navegar sem maiores problemas. De agora em diante mostro como editar as configurações de rede, para fazer as modificações se necessário. Clique no botão de rede -> "configurações" para acessar as opções:





Abaixo estão as que você pode ajustar, o que não será visto aqui. Os valores padrões são uma boa opção para a maioria dos usuários:







Até a próxima dica!
;-))

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Configure seu firewall no linux com arno iptables firewall

A dica de hoje explica com o instalar um  firewall no seu linux de modo fácil e sem nenhuma dor de cabeça, aumentando a proteção de seu sistema operacional preferido.

A maravilha da vez é o arno-iptables-firewall, de fácil compreensão e que se configura no terminal, sem maiores delongas.

A instalação dá-se com o comando abaixo:

$ su -
# apt-get install dnsutils arno-iptables-firewall

ou

$ sudo apt-get install dnsutils arno-iptables-firewall

A primeira janela que aparece é a de baixo. Leia-a com atenção e responda "sim":


Agora relacione as interfaces de rede que permitem acesso à internet. Veja que coloquei duas para cada uma, específicas para meu caso. Escreva as que possui (ex.: wlan0 -> wifi, eth0 -> rede cabeada; ppp0 -> modem 3G):


Se o seu endereço IP for fornecido por um servidor DHCP externo, responda afirmativamente no quadro que se apresente:


Responda negativamente às solicitações de ping ICMP. Aumenta a segurança:


Especifique as portas TCP/UDP que queira permitir acesso de fora para dentro. Para navegar na internet, deixe as duas janelas abaixo em branco. A conexão será feita sempre de dentro para fora:



Agora você configura a interface de rede interna, aquela que vai se conectar com os demais micros da rede. Se esta não existe, deixe em branco e coloque-as como externas. Lembre-se que nas internas serão permitidas as conexões de fora para dentro:


Definindo uma interface interna, escreva também a sub-rede que ela deve escutar, negando acesso às não autorizadas e a pacotes forjados com IP falso:


Se não estiver compartilhando conexão, responda "não" à habilitação do NAT:

Esta janela é um pouco diferente da que vimos anteriormente. Aqui pode-se adicionar as demais sub-redes ou micros que podem acessar a internet caso habilite o NAT:

Se não tem conhecimento profundo sobre o iptables e deseja manter este firewall básico, não há nada a ser editado. Basta apenas concordar com o proposto:


O firewall vai reiniciar e novamente perguntará se deve ser reiniciado mais uma vez. De "ok" e pronto, o firewall já está configurado.

Caso deseje refazer a configuração no terminal:

$ su -
# dpkg-reconfigure arno-iptables-firewall

ou

$ sudo dpkg-reconfigure arno-iptables-firewall

E repita todo o processo, fazendo as alterações necessárias.

Até a próxima dica!
;-))

sexta-feira, 10 de outubro de 2014

Alterar layout do desktop do ubuntu mate

A equipe de desenvolvimento do ubuntu mate revelou que este aptenodites virá como uma interface similar a do windows, a fim de colaborar com uma transição mais suave para os migrantes das janelas.

A dica de hoje mostra como alterar o layout do desktop. Para isso partiremos do tradicional, há muito conhecido dos usuários do antigo gnome 2:


Abra um terminal e digite o comando abaixo, como usuário normal:

$ mate-panel --reset --layout redmond

Imediatamente...


Veja que o layout do desktop já mudou, ficando a barra de tarefas na parte inferior. Se você quiser mandá-la para a parte de cima, clique na mesma com o botão direito do mouse -> propriedades -> orientação "superior":



Para voltar ao layout tradicional, digite o comando:

$ mate-panel --reset --layout ubuntu-mate

Até a próxima dica!
;-)

terça-feira, 30 de setembro de 2014

Instalando a impressora HP Laserjet P1102w no Ubuntu, Debian e derivadas

Na dica de hoje explicamos como instalar a impressora HP Laserjet P1102w no Ubuntu e derivadas. Creio que o procedimento seja compatível com outras distros, mas não será visto aqui.

O servidor de impressão "cups" de estar instalado e ativo. Para isso, faça (exemplo):

$ ps aux | grep cups
root   741  0.1  0.1  8924  4180 ?    Ss  07:16  0:01 /usr/sbin/cupsd -f

Se for necessário, para instalá-lo, faça no terminal:

$ sudo apt-get install cups
$ /etc/init.d/cups start

Agora instale os pacotes do "hplip", responsável pelos drivers da HP:

$ sudo apt-get instal hplip hpijs-ppds hplip-gui hp-ppd printer-driver-hpijs \
   printer-driver-pxljr printer-driver-hpcups openprinting-ppds

Inicie o applet da HP:

$ /usr/bin/python /usr/bin/hp-systray -x

Conecte a impressora na porta USB e ligue-a. Aparecerá a janela abaixo:


Instale o driver:




Agora faremos a configuração da impressora pelo browser, para que possa habilitá-la em qualquer distro baseada em pacotes *.deb. Abra o de sua preferência e digite na barra de endereços:

localhost:631

Clique nos ícones abaixo, na ordem:




Selecione a impressora e o driver:







Basta imprimir uma página de teste, indo em "Maintenance -> Print Test Page". Pronto, você já tem a sua HP funcionante.

Até a próxima dica!
;-))