segunda-feira, 31 de março de 2014

Criptografando a partição /home nas distros derivadas do Ubuntu

Na dica de hoje vou mostrar como encriptar sua partição /home, mantendo seguro todos os dados em /home/seu_login. Usarei para isso a distro kubntu.

Recomendo baixar a imagem mais nova possível, especialmente um daily build, até o lançamento da versão final. Consulte o calendário de sua distro.

Este procedimento pode ser replicado no ubuntu-gnome, ubuntu, lubuntu e xubuntu. Não verifiquei nas demais derivadas. O procedimento muda ligeiramente entre versões, mas os passos são os mesmos.

Recomendo instalar as distros *buntu conectado na internet, assim baixa as atualizações disponíveis, facilitando ainda mais sua vida. É o que adotaremos aqui também.

Bote o dvd no drive e abra totalmente a interface gráfica. Depois clique no ícone de instalação:


Selecione o idioma desejado:


Assinale as alternativas de atualização e de instalação de pacotes de terceiros, se desejar. Recomendo os dois:


Agora vamos ao particionamento. Clique no disco -> nova tabela de particionamento. Isso vai liberar todo o HD, inclusive o windows:






Agora particone a zseu gosto. recomendo o esquema de:

* /boot - 256 MB
* / - 10GB
* swap - 1GB (independente da quantidade de RAM)
* /home - o espaço restante

Nas imagens a seguir vocês verão que não criei uma partição swap em disco, que também será criptografada neste procedimento:




Configure o fuso horário e teclado:



Insira os dados de usuário e nome do computador:


Agora é esperar a instalação e reiniciar o computador, experimentando seu *ubuntu novinho em folha:




A desencriptação ocorrerá na hora do login, usando a sua senha de usuário. Você não perceberá nada de diferente, a menos que tente acessar sua partição /home com um live-cd...

Até a próxima dica!
;-))

sexta-feira, 28 de março de 2014

Alterando a cor de fundo do plymouth do Ubuntu

Na dica de hoje explico como alterar a cor de fundo do plymouth do Ubuntu, cujo padrão é este aqui:


Isso permitirá a personalização da tela de boot para a cor que você quiser. Por exemplo, tornando-a igual ao wallpaper do screen abaixo. Começamos capturando a cor numa área aleatória, que mostramos em vermelho:


Em hexadecimal é #356c59 e seu equivalente em RGB, 53, 108, 89. Agora divida estes números por 255, arredondando na casa milesimal:

R ->   53 =   53/255 = 0,207 = 0,21
G -> 108 = 108/255 = 0,423 = 0,42
B ->   89 =   89/255 = 0,349 = 0,35

Agora vá para o terminal e execute o comando abaixo:

$ sudo gedit /lib/plymouth/themes/ubuntu-logo/ubuntu-logo.script

Procure as linhas abaixo, que estão por volta da de número 170, e acrescente os valores acima na ordem RG, B:

Window.SetBackgroundTopColor (0.21, 0.42, 0.35);
Window.SetBackgroundBottomColor (0.21, 0.42, 0.35);

Salve as alterações e faça agora, também no terminal:

$ sudo update-initramfs -tu -k all

Agora é só reiniciar o seu ubuntu que a nova cor aparecerá no boot, igual a do wallpaper citado:


Se na linha "Window.SetBackgroundBottomColor" você colocar uma outra cor, mais clara ou escura, obterá um degradê muito interessante.

Até a próxima dica!
;-))

quinta-feira, 20 de março de 2014

Conheça o Metamorphose linux, uma distro brasileira!

Nos tempos que o linux era um nicho de hackers e de quem gostava de sofrer, literalmente, tudo era feito na munheca. Peguei esta fase e não guardo saudade nenhuma!

Hoje quero falar numa distro brasileira, onde tudo está à mão do usuário. Não há a menor necessidade de se mergulhar nas entranhas do pingüim. Se você usou o antigo kurumin, vai maravilhar-se com o metamorphose linux!

Não é uma refisefuqui, mas uma distro de verdade. E o seu ponto forte é o painel de confugrações, além de uma estética nota 10.

O site do metamorphose você acessa aqui e o download, aqui.

Novidades (resumidamente):

* kernel 3.13.3-metamorphose
* correção automática de erros e bugs
* central de aplicativos
* steam Linux pré instalado
* metamorphose real 3D
* melhorias no Wine-Metamorphose 1.7.12 + PlayOnLinux + WineTricks
* melhor uso de memória e processamento
* atualizações automáticas
* KDE 4.12.2 (estável, leve e rápido)
* boot e sistema mais rápidos
* synaptic plus (mais opções de softwares)
* suporte ampliado para internet Móvel
* 100% em português do Brasil
* libreOffice 4.2.0.4
* codecs de mídia e plugins web off-lines
* baseado no debian wheezy (7.4)
* sistema de som pulse audio e player VLC padrão
* atualização automática do java e flash player
* driver nativo para placas de vídeo ATI/AMD, intel e nVidia

Abaixo mostro algumas ilustrações. O primeiro contato com ela. Vejam o esmero na estética:


Realmente o KDE é da versão mais nova e estável. E roda sobre a estabilidade do wheezy:


Prestem atenção no painel de configurações:


O compiz já vem instalado e você também acessa os recursos do próprio KDE:



A configuração do wine é a mais completa que já vi:


As opções de conexão e firewall são realizadas por meio de scripts próprios:


O gerenciamento de pacotes é um show á parte. instalação do java, becape e a criação de live-pendrive:


Um recurso original é o uso de óculos 3D. Nunca usei nem sei como se configura. Mas está aí para quem quiser experimentar:


Já teve problemas para configurar sua placa de vídeo com o driver proprietário? O pessoal do metamorphose promete resolvê-los ao clique do mouse:




Adicionar impressoras? Nem no windows está mastigado assim:


O XBMC está à disposição, pronto para uso:


Para terminar, uma navegação básica para ver se reconhecia o driver da placa wifi. Tudo ok aqui, como podem ver:


Senhoras e senhores, prestigiem esse grande trabalho, usando e divulgando o metamorphose a todos que querem dar seus primeiros passos no linux!

Até a próxima dica!
;-))

quarta-feira, 19 de março de 2014

Deixando a barra superior do Ubuntu transparente


Para deixar a barra superior do Ubuntu transparente, use o comando abaixo como usuário normal, em uma só linha:

$ gsettings set org.compiz.unityshell:/org/compiz/profiles/unity/plugins/unityshell/    panel-opacity X


Onde X é um valor entre 0 e 1. Experimente várias opções e opte pela que mais lhe agradar. Independente da versão do compiz, sempre dá certo.

Até a próxima dica!
;-))


segunda-feira, 17 de março de 2014

Instalando a placa wireless Atheros AR9485 no Debian wheezy e derivadas

Na dica de hoje explico como instalar a placa wireless Atheros AR9485 no Debian wheezy e derivadas da mesma versão. Para isso, devemos instalar os pacotes firmware-linux-nonfree e firmware-atheros do repositório backports.

Adicione a linha abaixo no seu "/etc/apt/sources.list":

deb http://backports.debian.org/ debian-backports wheezy-backports main

Agora faça no terminal, como root:

# apt-get update
# apt-get install -t wheezy-backports linux-firmware-nonfree firmware-atheros

A primeria linha atualiza a relação de pacotes dos repositórios. A segunda, instala os citados. Reinicie seu Debian e rode o comando abaixo para ver se placa foi ativada automaticamente:

# ifconfig

Se aparecer a interface wlan0, basta fazer a conexão em uma rede wifi, o que não será visto aqui. Não testei com o kernel padrão 3.2.X, apenas com o do backports. Se não funcionar, atualize o kernel para este repositório.

Até a próxima dica!
;-))

sábado, 15 de março de 2014

Instalando o copy cloud storage no KDE 4.X

Além do ubuntu one e dropbox, há um novo serviço de cloud storage com cliente linux, o copy. Oferece 15GB livres, muito mais que os outros. E hoje vamos explicar como instalá-lo no kubuntu. Creio ser compatível com outras distros.

Vá até o site do copy, cadastre-se e baixe o cliente para seu pinguim:





Clique com o botão direito do mouse no arquivo baixado e descompacte-o:




Entre na pasta "copy" e veja que tem 3 pastas, para ARM, i386 e x86_64. No meu caso, escolhi a segunda, para 32 bits:


Delete os demais arquivos e abra um terminal onde está a pasta escolhida, usando o botão direito do mouse:


Vamos renomeá-la para "copy" e movê-la para a pasta /opt, indo em seguida para dentro dela no novo local. Use os comando abaixo:

$ mv i386 copy
$ sudo mv copy /opt
$ cd /opt/copy





Veja que na última foto mostro que o copy vem com as bibliotecas Qt próprias, tornando--o independente da interface gráfica.

Agora rode os comandos abaixo para que os executáveis fiquem disponíveis no PATH do sistema. Não é obrigatório mas facilita muito. Lembre-se que estamos em /opt/copy:

$ sudo ln -s /opt/copy/CopyAgent /usr/local/bin/copy
$ sudo ln -s /opt/copy/CopyAgent /usr/local/bin/CopyAgent
$ sudo ln -s /opt/copy/CopyCmd /usr/local/bin/CopyCmd
$ sudo ln -s /opt/copy/CopyConsole /usr/local/bin/CopyConsole


Agora vá para seu /home e chame o programa:

$ cd + [ENTER]
$ copy


Faça login no cliente, e opte pela pasta padrão em seu /home ou escolha uma outra qualquer. No meu caso, desejei compartilhar a mesma pasta que o Dropbox, para ter redundância no serviço. Faça como desejar:







Aparecerá o ícone do cloud storage na barra inferior, indicando que a sincronização iniciou:



Depois que a sincronização terminar, feche o terminal que estava usando e reinicie a interface gráfica para que o programa fique ativo por padrão.

Ajustes no serviço você faz digitando:

$ copy --help

Ou então clicando sobre o ícone na bandeja, com o botão direito do mouse:


As opções estão disponíveis nas abas abaixo, devidamente organizadas:






Instalei-o do mesmo modo no ubuntu-gnome e funcionou perfeitamente. Creio que não haverá problemas com outras interfaces baseadas em GTK+, como xfce e lxde.


No Ubuntu também não houve novidade:


Até a próxima dica!
;-))