terça-feira, 29 de abril de 2014

Alterando o $PATH do sistema no Ubuntu e derivadas

Em uma dica anterior expliquei como alterar o $PATH de sua distribuição linux. Hoje explico como fazê-lo no Ubuntu e derivadas. É apenas mais uma opção para você, já que as duas dicas funcionam perfeitamente nestas distros.

Para saber quais os diretórios do seu $PATH, rode o comando abaixo no terminal:

$ echo $PATH
/dir-1:/dir-2:/dir-3:/dir-4

Vamos lá: acrescente o diretório desejado no arquivo /etc/environment, como mostramos a seguir:

ANTES
PATH="/dir-1:/dir-2:/dir-3:/dir-4"

DEPOIS
PATH="/dir-1:/dir-2:/dir-3:/dir-4:/novo_dir"

Salve o arquivo e reinicie a interface gráfica. Rode o comando "echo" novamente:

$ echo $PATH
/dir-1:/dir-2:/dir-3:/dir-4:/novo_dir

Até a próxima dica!
;-))

quinta-feira, 24 de abril de 2014

Instalando o ffmpeg no Ubuntu 14.04 e derivadas

Você não sabe mas acabará sabendo: devido a uma briga entre ególatras, criaram um fork do ffmpeg, o libav. E este foi adotado pelo Ubuntu!

Os programas para multimídia, precisarão do ffmpeg até que sejam recompilados, e não sabemos quando isso ocorrerá... e "se" ocorrerá!

Para instalá-lo, utilize a PPA abaixo no arquivo /etc/apt/sources.list:

# ffmpeg PPA
# sudo apt-key adv --keyserver keyserver.ubuntu.com --recv-keys 8EFE5982
deb http://ppa.launchpad.net/kirillshkrogalev/ffmpeg-next/ubuntu trusty main

Faça no terminal:

# sudo apt-get update
# sudo apt-key adv --keyserver keyserver.ubuntu.com --recv-keys 8EFE5982
# sudo apt-get update
# sudo apt-get install ffmpeg


Até a próxima dica!
;-))

sábado, 19 de abril de 2014

Seu linux está protegido contra o heartbleed? Descubra aqui!

Não vou entrar em detalhes sobre o heartbleed. Vamos direto ao ponto: como saber se a sua versão do openSSL está vulnerável? Abra um terminal e rode o comando abaixo, como root:

# openssl version -a
OpenSSL 1.0.1f 6 Jan 2014
built on: Mon Apr  7 21:22:23 UTC 2014
...

Se a versão do openSSL for 1.X e anterior a 7 de abril, você corre perigo! Desta data em diante, sem problemas. Todas as versões 0.X não foram afetadas.

A forma correta de corrigi-lo é atualizar seu pinguim, segundo o procedimento padrão para ele, o que não será visto aqui.

Até a próxima dica!
;-))

sexta-feira, 18 de abril de 2014

Ativando a função minimizar no Ubuntu 14.04 LTS


Na versão 14.04 LTS do Ubuntu é possível ativar o botão de minimizar aplicativos na barra lateral, o que não era permitido até a 13.10.

Abaixo mostro como fazê-lo via terminal, pois acho mais rápido. Não dóis nada e é bem rápido!

Instale os pacotes necessários e rode o comando, na ordem:

$ sudo apt-get install compiz-plugins compizconfig-settings-manager
$ ccsm

Vá para "Ubuntu unity plugin -> launcher -> Minimize single window applications (unsupported)". Basta clicar nesta opção que a função de minimizar em um clique passa a funcionar:




Até a próxima dica!
;-))

quinta-feira, 17 de abril de 2014

Inserindo legendas em filmes com o mencoder - parte 1

Na dica de hoje explico como inserir uma legenda no formato *.srt em um filme, usando o mencoder no terminal, codificador de vídeo nativo do linux.

Futuramente explicarei como fazê-lo na interface gráfica. Hoje será no terminal, pois é bom ter uma solução compatível com qualquer distribuição linux, qualquer arquitetura.

Para isso, tenha o filme e legenda prontos. Abra o terminal e digite:

$ mencoder vid1 -oac pcm -ovc copy -sub leg.srt -utf8 -subfont-text-scale 3 -o vid2

onde:

vid1 - vídeo sem legenda
vid2 - vídeo com legenda
leg.srt - legenda no formato srt
-utf8 - permite legendas com acentos, no caso do pt_BR


Veja o vídeo sem legenda:


Agora com ela:


Até a próxima dica!
;-))

domingo, 13 de abril de 2014

Gravando imagem iso com o K3B

Anteriormente mostramos como gravar uma imagem *.iso com o brasero. Hoje vou explicar como fazê-lo com o k3b, gravador oficial do ambiente KDE.

Em primeiro lugar instale o programa segundo o procedimento padrão para sua distro. Nas derivadas do Debian, faça como superusuário:

# apt-get install k3b k3b-i18n libk3b6-extracodecs normalize-audio

Ei-lo, pronto para uso:


Ponha uma mídia compatível com o tamanho da imagem *.iso, abra o gerenciador de arquivos de sua interface gráfica e navegue até onde ela está:


Clique nela com o botão direito do mouse > ações > gravar imagem para disco com o k3b:



Clique no botão iniciar > configurações padrão:



Agora é esperar o processo de gravação, cuja demora dependerá de seu equipamento:






Depois que a mídia é grava, o drive é aberto. Feche-o novamente para que a cd ou dvd seja montado você possa inspecionar seu conteúdo, checando se está tudo em ordem:


Até a próxima dica!
;-))

quinta-feira, 10 de abril de 2014

Configurando internet wireless no gnome-shell 3.10

Na dica de hoje vou explicar como configurar internet wireless no gnome-shell 3.10, tomando por base o ubuntu-gnome 14.04. Creio que servirá para outras distros.

Em primeiro lugar, certifique-se de que sua placa wireless está ativada na sua distro, o que não será visto aqui. Na imagem abaixo a interface wlan0 mostra que a minha foi devidamente reconhecida:


Clique no ícone de rede, canto superior direito:


Clique em wifi -> selecione a rede e selecione a rede desejada, digitando a senha se necessário:





Após a conexão, o ícone de rede muda:


Agora vamos ver as configurações, alterando o que for necessário. Clique novamente no ícone de rede -> nome da rede -> configurações de wifi:




Na janela que se abrir, clique em configurações -> botão "seta à direita":



Se souber o que fazer, pode alterar qualquer parâmetro em quaisquer das cinco abas... por sua conta e risco! ;-))






Salve as alterações e boa navegação!

Até a próxima dica!
;-))



domingo, 6 de abril de 2014

Ativando sua placa wireless no linux, parte 2

Em uma dica anterior expliquei os passos para ativar sua placa wireless no linux, mas o problema não se resolve quando precisamos de drivers não livres, como as placas atheros.

Essa dica baseia-se no Debian e derivadas, mas - fora a instalação dos pacotes - os passos são praticamente os mesmos para as outras distros. No geral elas não têm esse problema!

Ao instalar o Debian stable, prefira o projeto live-cd, o live.debian, pois tem os drivers não livres no kernel e reconhecem as placas wireless mais comuns. A cada release da distro original, ele também o faz:


Instale o Debian sempre conectado na internet, pois as placas de rede são ativadas automaticamente durante o procedimento.

Se você não possuir internet, pode instalá-lo da mesma forma, mas as placas de rede serão ativadas manualmente mais tarde. Para saber quais você tem, rode o comando abaixo, como root (exemplo):

(rede cabeada "etho")
# lspci | grep Ethernet
...Ethernet controller: Broadcom Corporation NetLink BCM57785 Gigabit Ethernet PCIe...

(rede wireles "wlan0")
# lspci | grep Wireless
...Network controller: Qualcomm Atheros AR9485 Wireless Network Adapter...

ou

# lspci | grep Network
...Network controller: Qualcomm Atheros AR9485 Wireless Network Adapter...

Agora tente ativá-la:

# ifconfig wlan0 up
SIOCSIFLAGS: Unknown error...

Neste exemplo, teremos de instalar dois pacotes: o de firmwares não livres e da placa propriamente dita. Como primeiro passo, acrescente os repositórios contrib e non-free no sources.list de seu pinguim:

ANTES
deb ... stable main

DEPOIS
deb ... stable main contrib non-free

Agora rode:

# apt-get update
# apt-get install linux-firmware-nonfree firmware-atheros

Reinicie seu pinguim e veja se as placas estão ativas:

# ifconfig

As interfaces "lo", "eth0" e "wlan0" aparecerão (exemplo):

eth0    Link encap:Ethernet  Endereço de HW 20:89:84:01:c9:c6  
          UP BROADCAST MULTICAST  MTU:1500  Métrica:1
          pacotes RX:0 erros:0 descartados:0 excesso:0 quadro:0
          Pacotes TX:0 erros:0 descartados:0 excesso:0 portadora:0
          colisões:0 txqueuelen:1000 
          RX bytes:0 (0.0 B) TX bytes:0 (0.0 B)
          IRQ:16 

lo       Link encap:Loopback Local  
          inet end.: 127.0.0.1  Masc:255.0.0.0
          UP LOOPBACK RUNNING  MTU:65536  Métrica:1
          pacotes RX:257 erros:0 descartados:0 excesso:0 quadro:0
          Pacotes TX:257 erros:0 descartados:0 excesso:0 portadora:0
          colisões:0 txqueuelen:0 
          RX bytes:16152 (16.1 KB) TX bytes:16152 (16.1 KB)

wlan0  Link encap:Ethernet  Endereço de HW 20:68:9d:81:0c:5f  
          UP BROADCAST MULTICAST  MTU:1500  Métrica:1
          pacotes RX:60671 erros:0 descartados:0 excesso:0 quadro:0
          Pacotes TX:42049 erros:0 descartados:0 excesso:0 portadora:0
          colisões:0 txqueuelen:1000 
          RX bytes:25391443 (25.3 MB) TX bytes:6307084 (6.3 MB)

Caso contrário, rode:

# ifconfig eth0 up

e

# ifconfig wlan0 up

Não deverá aparecer qualquer erro. Ao reiniciar seu debian, se elas não "subirem" automaticamente, acrescente as linhas abaixo no arquivo /etc/rc.local antes da linha "exit 0":

ifconfig eth0 up
ifconfig wlan0 up

Bem pessoal, é o que eu passo a vocês baseado na minha experiência. Boa sorte a todos e, qualquer dúvida adicional, procurem ajuda no site vivaolinux.

Até a próxima dica!
;-))

quinta-feira, 3 de abril de 2014

Reduza o tamanho do DVD com o ogmrip

Anteriormente expliquei como reduzir o tamanho do dvd com o dvdshrink, por meio do wine, para os 4.7GB de uma mídia padrão.

Hoje vou explicar como fazê-lo por meio do ogmrip, programa que converte dvd's em formatos compatíveis com todos os SO's existentes, para pc's, NoBo's e dispositivos móveis.

Não veremos como instalá-lo na sua distro favorita, onde será feito segundo o procedimento padrão para ela.

Vamos lá. Insira a mídia no drive, abra o programa e clique em "load":


Clique em "extract -> profile -> dvd for standalone player", clicando no botão à direita (na forma de uma caneta):


Na próxima janela, clique em "editar":


Nas abas a seguir, deixe as opções padronizadas. Se quiser, reduza a codificação do vídeo para 2 passes ou experimente outros valores. Lembre-se: quanto mais passes, mais demorado:





Vá em "editar -> preferências" e desmarque o quadro "DVD copy", para a codificação ocorrer on the fly. Isso reduz o tempo do processo:


Aguarde a codificação terminar e grave sua imagem iso numa mídia normal de 4.7GB.

Até a próxima dica!
;-))