quinta-feira, 30 de abril de 2015

Selecionando a arquitetura dos pacotes *.deb no apt-get

Na dica de hoje explico como selecionar a arquitetura dos pacotes, ao se atualizar a base de dados do apt.

Quando você roda o comando:

$ sudo apt-get update

ele atualiza a base de dados de pacotes para as arquiteturas i386 e amd64. Mas você pode selecionar qual delas deseja rodar o "update". Para isso altere o(s) repositório(s) no /etc/apt/sources.list com seu editor de texto preferido (exemplo):

i386
deb [arch=i386] http://br.archive.ubuntu.com/ubuntu/ trusty main

amd64
deb [arch=amd64] http://br.archive.ubuntu.com/ubuntu/ trusty main

Isso torna o processo mais rápido, agilizando a sua vida. Mas tem uma grande desvantagem: optando por uma arquitetura, não se pode instalar pacotes da outra. Para isso acontecer, deixe no formato original:

i386/amd64
deb http://br.archive.ubuntu.com/ubuntu/ trusty main

Até a próxima dica!
;-))

quarta-feira, 29 de abril de 2015

Instale o KDE Plasma 5 no kubuntu 15.04

Para instalar o KDE Plasma 5.X no kubuntu 15.04, adicione o repositório abaixo no /etc/apt/sources.list, obviamente por sua conta e risco.

No momento da publicação desta dica, o KDE Plasma está na versão 5.3. Atualizado o kubuntu, reinicie a interface gráfica!

# KDE Plasma 5.X PPA
# sudo apt-key adv --keyserver keyserver.ubuntu.com --recv-keys 8AC93F7A
deb http://ppa.launchpad.net/kubuntu-ppa/backports/ubuntu vivid main

Abra o terminal e faça, na ordem:

$ sudo apt-get update
$ sudo apt-key adv --keyserver keyserver.ubuntu.com --recv-keys 8AC93F7A
$ sudo apt-get update
$ sudo apt-get dist-upgrade


Para reverter a caganha, se ocorrer:

$ sudo apt-install ppa-purge
$ sudo ppa-purge ppa:kubuntu-ppa/backports

Até a próxima dica!
;-))

quarta-feira, 22 de abril de 2015

Anti-aliasing de fontes truetype no KDE4


Abaixo a configuração para Anti-aliasing para KDE4 que realmente funciona. Você pode tentar em outros ambientes gráficos mas não garanto que funcione.

Abra um terminal e digite o comando abaixo usando seu editor de texto preferido:

$ mkdir $HOME/.config/fontconfig
$ nano $HOME/.config/fontconfig/fonts.conf

e adicione o conteúdo abaixo:

<?xml version="1.0"?>
<!DOCTYPE fontconfig SYSTEM "fonts.dtd">
<fontconfig>

   <match target="font">
    <edit name="antialias" mode="assign">
      <bool>true</bool>
    </edit>
  </match>

  <match target="font">
    <edit name="hinting" mode="assign">
      <bool>true</bool>
    </edit>
  </match>

  <match target="font">
    <edit name="hintstyle" mode="assign">
      <const>hintslight</const>
    </edit>
  </match>

  <match target="font">
    <edit name="rgba" mode="assign">
      <const>rgb</const>
    </edit>
  </match>

  <match target="font">
    <edit mode="assign" name="lcdfilter">
      <const>lcddefault</const>
    </edit>
  </match>

</fontconfig>

Salve-o, saia do editor de texto e faça agora:

$ ln -s  $HOME/.config/fontconfig/fonts.conf   $HOME/.fonts.conf

Reinicie o KDE4 e veja a diferença. Muda completamente a apresentação das fontes.

Até a próxima dica!
;-))

sábado, 11 de abril de 2015

Cortar vídeos no linux com o ffmpeg

Dica simples para cortar vídeos no linux, usando o ffmpeg. Em primeiro lugar, certifique-se de que tem o programa instalado. Caso contrário, faça-o segundo o procedimento padrão para sua distro, o que não será visto aqui.

Para os usuários do Ubuntu trusty, utopic e derivadas, siga esta dica.

Se o vídeo tiver duração até 60 minutos, abra um terminal e faça:

$ ffmpeg -i video-in -vcodec copy -acodec copy -ss 0 -to 30 video-out

ou

$ ffmpeg -i video-in -vcodec copy -acodec copy -ss 00:00 -to 00:30 video-out

Se o vídeo tiver duração superior a 60 minutos:

$ ffmpeg -i video-in -vcodec copy -acodec copy -ss 00:00:00 -to 00:00:30 video-out

Nos exemplos acima segmentamos o vídeo num intervalo de 30 segundos, começando em 0. Testei com vários formatos de vídeo e funciona perfeitamente bem.

Até a próxima dica!
;-))

terça-feira, 7 de abril de 2015

Repositórios brasileiros para o Ubuntu e derivadas


Repositórios brasileiros para o Ubuntu. Colocar no /etc/apt/sources.list. Substitua o termo genérico $VERSAO por uma das versões ativas, a saber: precise (12.10), trusty (14.04) ou utopic (14.10):


Adicione também, quando houver, as versões futuras do Ubuntu.

Até a próxima dica!
;-))