quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

Linux: pcmanfm não mostra thumbnails de vídeos

Pcmanfm é o gerenciador de arquivos do LXDE e recentemente tive um problema para visualizar thumbnails de vídeos no Lubuntu. Já tinha resolvido o problema no Thunar, o gerenciador do XFCE, e você pode ler a dica clicando aqui.

O programa responsável por gerar os thumbs é o ffmpegthumbnailer, que a presenta o seguinte erro quando chamado no terminal:

$ ffmpegthumbnailer
Locale not specified. Check LANG, LC_CTYPE, LC_ALL

Esse problema atinge os não falantes da língua inglesa, que não tenham instalados os pacotes:

* language-pack-en
* language-pack-en-base
* language-pack-gnome-en
* language-pack-gnome-en-base

Para resolver esse problema, basta instalá-los:

LUBUNTU E DERIVADAS
$ sudo apt-get install language-pack-en language-pack-en-base \
   language-pack-gnome-en language-pack-gnome-en-base

DEBIAN E DERIVADAS
$ su - [ENTER]
# apt-get install language-pack-en language-pack-en-base \
   language-pack-gnome-en language-pack-gnome-en-base
# exit

Agora instale os pacotes responsáveis pelos thumbs, como mostro abaixo:

LUBUNTU E DERIVADAS
$ sudo apt-get install tumbler tumbler-common tumbler-plugins-extra

DEBIAN E DERIVADAS
$ su - [ENTER]
# apt-get install tumbler tumbler-common tumbler-plugins-extra
# exit

Por último, rode no terminal:

LUBUNTU E DERIVADAS
$ sudo apt-get install --reinstall locales

DEBIAN E DERIVADAS
$ su - [ENTER]
# apt-get install --reinstall locales
# exit


Reinicie a interface gráfica e pronto! Isso funcionou comigo no Lubuntu e Xubuntu. Espero que funcione em qualquer distro baseada no Ubuntu e Debian. Nas demais, não há nenhuma garantia, só testando.

Até a próxima dica!
;-))

sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

Convertendo vídeo no linux com codec H265 (hevc)

Na dica de hoje explico  como converter entre formatos de vídeo, usando o ffmpeg e o codec H265, muito melhor que o H264. Para isso utilizaremos o terminal numa distro baseada no Ubuntu.

Faremos as conversões utilizando o terminal. Assim a dica será compatível com muitas distros linux, bastando fazer as adaptações necessárias, o que não será visto aqui.

Vamos lá: abra o terminal e instale os pacotes ffmpeg e H265, assim:

$ sudo apt-get install ffmpeg h265 libde265-0

Agora passemos à conversão propriamente dita. Realizei experimentos com os formatos 3gp, mp4, webm e tudo correu bem. Espero que o ffmpeg/H265, compilados para sua distro, não dêem problemas.

Basicamente a string de conversão é esta, dependendo do codec de som:

$ ffmpeg -i video_in -vcodec hevc -acodec aac -strict -2 video_out.mp4

ou

$ ffmpeg -i video_in -vcodec hevc -acodec mp3 video_out.mp4

onde:

ffmpeg - programa de conversão entre formato de vídeos
video_in - vídeo a ser convertido, qualquer formato
-vcodec - codec de vídeo a ser utilizado para a conversão
-acodec - idem para o som
video_out.mp4 - vídeo convertido no formato mp4

Para utilizar o codec H265 basta usar "hevc" na string. Já o codec de áudio, pode ser "aac" ou "mp3", por exemplo. Aquele gera um menor arquivo de vídeo que o H264, sem perder a qualidade, e você irá gostar do resultado.

Até a próxima dica!
;-))

sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

Linux: thunar não mostra thumbnails de vídeos

Thunar é o gerenciador de arquivos do xfce, e nem sempre os thumbnails de vídeos são mostrados. Para corrigir esse erro, rode os comandos abaixo no terminal, na ordem:

XUBUNTU E DERIVADAS
$ sudo apt-get install tumbler tumbler-common tumbler-plugins-extra

DEBIAN E DERIVADAS
$ su - [ENTER]
# apt-get install tumbler tumbler-common tumbler-plugins-extra
# exit

Veja:

Até a próxima dica!
;-))

quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

Redimensionando vídeos, no linux, com o lbav

Na dica anterior mostrei como redimensionar um vídeo com o ffmpeg. Na de hoje, explico com fazê-lo com o libav. Este é um fork do ffmpeg, criado por um grupo de usuários descontentes com o rumo do pacote original.

Em primeiro lugar, instale o libav de acordo com o procedimento padrão para sua distro, o que não será visto aqui. Para as distros baseados no Debian, o pacote é o libav-tools. Nas demais, você deverá pesquisar qual o nome do pacote.

Daqui o procedimento é o mesmo do ffmpeg, veja:

$ avconv -i video_in -vf scale=640:480 video_out

ou

$ avconv -i video_in -vf scale=640:-1 video_out

ou

$ avconv -i video_in -vf scale=-1:480 video_out

O erro "The encoder 'aac' is experimental but experimental codecs are not enabled, add '-strict -2' if you want to use it.", será corrigido da mesma forma:

$ avconv -i video_in -vf scale=640:480 -strict -2 video_out

ou

$ avconv -i video_in -vf scale=640:-1 -strict -2 video_out

ou

$ avconv -i video_in -vf scale=-1:480 -strict -2 video_out

Como no ffmpeg, também redefini a escala do vídeo para "scale=640:-1" ou "scale=-1:480", fazendo o avconv redimensioná-lo corretamente. Para um tamanho não padronizado, o mesmo recurso será utilizado, ou seja, use o "-1":

$ avconv -i video_in -vf scale=712:-1 -strict -2 video_out

Até a próxima dica!
;-)

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Instalando plugin indicador de caps lock no lubuntu

Um pluguezinho bem simples, mas útil para mim, é o indicador de caps lock. Existe nativamente nos repositórios do Ubuntu, base para nosso querido Lubuntu. Também testei no Xubuntu e funcionou. Não sei quanto as demais interfaces.

Para instalá-lo, abra um terminal e faça:

$ sudo apt-get update
$ sudo apt-get install indicator-keylock

Reinicie a interface gráfica e experimente apertar a tecla "caps lock". Veja:



Até a próxima dica!
;-))

segunda-feira, 21 de novembro de 2016

Corrigindo o erro "Possible missing firmware /lib/firmware/tigon/tg3_tso5.bin for module tg3" no Debian

Se apareceu o erro "Possible missing firmware /lib/firmware/tigon/tg3_tso5.bin for module tg3"  após instalação do seu Debian, saiba que é fácil resolvê-lo.

O binário tg3_tso5.bin faz parte do driver ethernet Broadcom Tigon3, ou seja, a placa "Broadcom Corporation NetLink BCM57785 Gigabit Ethernet PCIe", que você pode ver com o comando "lspci".

Para instalar o driver, você deverá habilitar os repositórios contrib e non-free no /etc/apt/sources.list do Debian, da seguinte forma:

ANTES
deb http://ftp.debian.org/debian/ $VERSION main

DEPOIS
deb http://ftp.debian.org/debian/ $VERSION main contrib non-free

onde:

$VERSION = jessie, stretch

Como root, rode o comando abaixo num terminal:

$ su - [ENTER]
# apt-get update

Agora instale o firmware de acordo com a versão de seu Debian.

Debian stable
# apt-get install firmware-linux-nonfree

Debian stretch
# apt-get install firmware-misc-nonfree

Depois de instalado, reinicie seu isfenicídio e pronto. O hardware estará devidamente configurado e funcionante.

Até a próxima dica!
;-))

quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Instalando "Noto Fonts" na sua distro linux preferida

Noto Fonts é um projeto do Google que abarca todos os caracteres utilizados na internet, 110 mil ao todo, abrangendo 800 línguas diferentes. Isso fez-se necessário pois a empresa está presente em quase todo o mundo.

O nome "Noto" é uma sigla que significa "No more Tofu", sendo "tofu" o caractere "⯐" que aparece quando um site ou um sistema operacional não consegue representar o texto ou o símbolo que está escrito, dificultando a leitura de algumas páginas. (1)

Para fazer o download da font Noto, vá neste endereço e clique em "Download all fonts":


Tenha um pouco de paciência, são aproximadamente 500MB. Depois do download, descompacte o arquivo Noto-hinted.zip com o botão direito do mouse ou no terminal, assim:

$ unzip Noto-hinted.zip

Abra um terminal no diretório onde está a pasta "Noto" e rode os comandos abaixo, na ordem:

UBUNTU E DERIVADAS
$ sudo chown root.root Noto -R
$ sudo chmod 644 Noto -R
$ sudo mv Noto /usr/share/fonts/truetype
$ sudo fc-cache -f -v

DEBIAN, DERIVADAS E OUTRAS DISTROS
$ su - [ENTER]
# chown root.root Noto -R
$ chmod 644 Noto -R
$ mv Noto /usr/share/fonts/truetype
$ fc-cache -f -v

Reinicie a interface gráfica e pronto! Você não notará nada de diferente... rsrs Mas a nova fonte estará disponível no seu infenicídio, sempre que algum aplicativo necessite.

Até a próxima dica!
;-))

sexta-feira, 11 de novembro de 2016

Deletando arquivos em dispositivos usb, no LXDE

As vezes não é possível enviar arquivos pra lixeira,  em dispositivos usb, quando usa-se a interface gráfica LXDE. Ao abrir o pcmanfm e tentar a operação, aparece o alerta abaixo:


Para reverter essa situação, abra o pcmanfm -> editar -> preferências e desmarque a opção "Apagar os arquivos em mídias removíveis ao invés de de enviar para a lixeira":


ANTES



DEPOIS


Problema resolvido. Você já pode remover arquivos de dispositivos usb, usando o LXDE.

Até a próxima dica!
;-)

sexta-feira, 4 de novembro de 2016

Gravando o Openindiana num pendrive, via terminal linux

A dica de hoje explica como gravar o Openindiana num pendrive, utilizando um terminal linux. Mostrarei o meu método, mas pode haver outros igualmente bons. Fique a vontade para escolher.

Em primeiro lugar, baixe a imagem na versão desejada. Neste momento, baixe a 2016.10 no site do projeto, o que não será visto aqui. Escolhi a OI-hipster-gui-20161030.usb.

Quando testo uma distro nova, faço-o sempre num pendrive formatado em ntfs, via gparted, pois não dá erro nesta ferramenta. Mas você pode escolher qualquer formato de arquivo, apenas evite o fat32, pois dá muito erro na formatação gráfica.

Terminada a formatação pelo gparted, desconecte o pendrive da porta USB, espere 10 segundos e conecte-o novamente. Você terá de descobrir se ele é um dispositivo /dev/sda, sdb etc, com o seguinte comando (como root):

UBUNTU E DERIVADAS
$ sudo fdisk -l

OUTRAS DISTROS
$ su - [ENTER]
# fdisk -l

Disk /dev/sdb: 7,5 GiB, 8054112256 bytes, 15730688 sectors
Units: sectors of 1 * 512 = 512 bytes
Sector size (logical/physical): 512 bytes / 512 bytes
I/O size (minimum/optimal): 512 bytes / 512 bytes
Disklabel type: dos
Disk identifier: 0xa5b42618

Dispositivo Inicializar Start Fim Setores Size Id Tipo
/dev/sdb1 2048 15730687 15728640  7,5G  7 HPFS/NTFS/exFAT

Agora rode os comandos abaixo, na ordem:

UBUNTU E DERIVADAS
$ sudo umount /dev/sdb1
$ sudo dd if=OI-hipster-gui-20161030.usb of=/dev/sdb

OUTRAS DISTRIBUIÇÕES
$ su - [ENTER]
# umount /dev/sdb1
# dd if=OI-hipster-gui-20161030.usb of=/dev/sdb
# exit

Pronto. Reinicie seu computador e dê boot pelo pendrive. Daí pra frente é com você.

Até a próxima dica!
;-))

sexta-feira, 28 de outubro de 2016

Atualize os drivers intel, nvidia ou radeon no Ubuntu 16.04, 16.10 e derivadas

Se você tem um notebook ou computador com placa gráfica da intel, você pode usar um driver com recursos extras habilitados, de repositório PPA, por sua conta e risco! Tem atualizações constantes e estou usando-o há um bom tempo, sem nenhum problema.

Segundo o responsável, estes drivers melhoram os recursos em 2D e 3D (mesa) como mostro abaixo. Outras informações, você acessa aqui:

* OpenGL 4.5+ support and new OpenGL extensions
* llvm-3.9
* gallium-nine support installed by default
* VDPAU, OpenMAX IL Bellagio, VAAPI and XvMC Gallium3D video drivers
* OpenCL support (mesa-opencl-icd package), including updated libclc
* r600 LLVM compiler
* optional GLAMOR acceleration on radeon (>= r300), and nouveau drivers
* i915 gallium driver replaces by default i915 classic driver

* experimental ilo (intel) and virgl (virtio-gpu) gallium drivers

Para instalá-los, você deve acrescentar os repositórios abaixo no final do arquivo /etc/apt/sources.list, segundo a versão de seu Ubuntu ou distro derivada:

UBUNTU 16.04 e derivadas
# sudo apt-key adv --keyserver keyserver.ubuntu.com --recv-keys A03A4626
deb http://ppa.launchpad.net/oibaf/graphics-drivers/ubuntu xenial main

UBUNTU 16.10 e derivadas
# sudo apt-key adv --keyserver keyserver.ubuntu.com --recv-keys A03A4626
deb http://ppa.launchpad.net/oibaf/graphics-drivers/ubuntu yakkety main

Agora rode os comandos abaixo, na ordem:

$ sudo apt-get update
$ sudo apt-key adv --keyserver keyserver.ubuntu.com --recv-keys A03A4626
$ sudo apt-get update
$ sudo apt-get dist-upgrade

Basta reiniciar a interface gráfica para ter seu novo driver funcionante.

Até a próxima dica!
;-))

segunda-feira, 24 de outubro de 2016

Configurando som de login no LXDE, XFCE e outros ambientes leves

Hoje explico como configurar som de login no LXDE, XFCE ou qualquer interface gráfica que não possua tal recurso nativo. Essa é uma dica cosmética, para os que gostam dos pequenos detalhes que fazem diferença na sua distribuição preferida.

Crie ou baixe o som de login que mais lhe agradar. Há vários sites disponíveis e uma consulta no google resolverá esta parte. Terminado este processo, mova-o para um diretório qualquer, de sua preferência.

Instale o servidor de som pulseaudio, segundo o padrão para sua distro, o que não será visto aqui. Este contém o paplay, que utilizaremos para tocar a som de login.

Agora crie um arquivo "som_login.desktop" no seu diretório:

$ seu_editor_preferido ~/.config/autostart/som_login.desktop

e coloque o conteúdo abaixo:

[Desktop Entry]
Name=Sound login
GenericName=Sound login
Comment=Sound login
Exec=paplay /opt/sound/login.ogg
Terminal=false
Type=Application
StartupNotify=false

Na linha "Exec=" coloquei o aplicativo paplay e o local onde está o som de login, /opt/sound. Mas pode ser qualquer um. Apenas evite nomes compostos, ou seja, com um espaço entre eles, como 'Meus sons'.

Salve o arquivo som.desktop e reinicie a interface gráfica. Curta em seu ambiente gráfico preferido um login personalizado, que dará um charme especial ao seu isfenicídio.

Até a próxima dica!
;-))

sábado, 15 de outubro de 2016

Debian associa gerenciador de arquivos com audacious

O Debian stretch tem um buguezinho chato. Nos gerenciadores baseados no gnome, ao inserir um pendrive ou hd externo, o mesmo é aberto com o audacious, em vez do gerenciador padrão, como nautilus ou nemo.

Mas é fácil corrigi-lo. Basta abrir um terminal e digitar:

$ nano ~/.local/share/applications/mimeapps.list

Agora acrescente as linhas abaixo:

[Default Applications]
inode/directory=file_manager.desktop;

ou

[Default Applications]
inode/directory=nemo.desktop;

ou

[Default Applications]
inode/directory=nautilus.desktop;

Salve as modificações e conecte o dispositivo. Suas mídias removíveis serão abertas pelo gerenciador de arquivos padrão.

Até a próxima dica!
;-)

segunda-feira, 10 de outubro de 2016

Corrigir o erro "Can't locate Gtk2.pm in @INC (you may need to install the Gtk2 module)" no linux

Dica de como resolver o erro "Can't locate Gtk2.pm in @INC (you may need to install the Gtk2 module) ...etc... at /usr/share/perl5/Debconf/FrontEnd/Gnome.pm line 91, <> line 2.)" no linux. 

Mostrarei como fazê-lo no Debian, Ubuntu e derivadas. Nas demais distros, use o procedimento padrão para instalar o pacote libgtk2-perl ou equivalente.

Debian e derivadas
$ su - [ENTER]
# apt-get install libgtk2-perl

Ubuntu e derivadas
$ sudo apt-get install libgtk2-perl

Até a próxima dica!
;-)

sábado, 8 de outubro de 2016

Mudando o volume do mp3, no linux, com o ffmpeg ou libav

Na dica de hoje explico como aumentar ou reduzir a amplitude o som de um arquivo mp3, no linux, usando o ffmpeg ou libav. Este é um fork daquele, com as mesmas funções, mantendo um nome diferente.

Em primeiro lugar, instale o ffmpeg ou libav, o que estiver disponível nos repositórios, segundo o procedimento padrão para sua distro, o que não será visto aqui.

Testei apenas com mp3, mas creio que deva ser possível fazê-lo com ogg, wav e outros formatos. Basta experimentar!

Faremos o procedimento pelo terminal, para que a dica seja compatível com qualquer distribuição existente. Para tal, abra o mesmo no diretório onde se encontra o arquivo mp3 desejado e rode o comando abaixo:


AUMENTAR O SOM

em 10% - ffmpeg
$ ffmpeg -i audio_in af= "volume=1.1" audio_out

em 30% - ffmpeg
$ ffmpeg -i audio_in af= "volume=1.3" audio_out

em 50% - ffmpeg
$ ffmpeg -i audio_in af= "volume=1.5" audio_out

em 10% - libav-tools
$ avconv -i audio_in af= "volume=1.1" audio_out

etc...

Veja que o procedimento é o mesmo com o avconv. Muda apenas o nome do executável, de acordo com o pacote instalado.


DIMINUIR O SOM

para 90% do volume original - ffmpeg
$ ffmpeg -i audio_in af= "volume=0.9" audio_out

para 70% do volume original - ffmpeg
$ ffmpeg -i audio_in af= "volume=0.7" audio_out

para 50% do volume original - ffmpeg
$ ffmpeg -i audio_in af= "volume=0.5" audio_out

para 90% do volume original - libav-tools
$ avconv -i audio_in af= "volume=0.9" audio_out

etc...

Aqui também nada de novidade. Muda apenas os valores para a nova amplitude do áudio.

Até a próxima dica!
;-))

domingo, 2 de outubro de 2016

Corrigindo o erro "cannot open /etc/aptapt.conf.d/99synaptic to write APT::Install-Recommends"

O Debian stretch apresenta o erro "cannot open /etc/aptapt.conf.d/99synaptic to write APT::Install-Recommends" quando você usa o synaptic para gerenciar pacotes nesta distro.

Esse erro impede de tornar as configurações do synaptic permanentes, causando um pequeno transtorno para os fãs deste sabor de linux. Mas é fácil corrigi-lo. Basta seguir as instruções.

Abra um terminal e rode os comandos a seguir, na ordem:

$ su - [ENTER]
# ln -s /etc/apt/apt.conf.d /etc/aptapt.conf.d
# touch /etc/apt/apt.conf.d/99synaptic

Pronto. Toda vez que abrir o synaptic como root, as configurações do aplicativos serão mantidas, facilitando seu trabalho.

Até a próxima dica!
;-)

segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Desabilitar checagem do sistema de arquivos durante o boot do linux

A dica de hoje é para os que desejam desabilitar a checagem do sistema de arquivos, no linux, durante o boot. Embora necessário, não precisa ser a cada inicialização do sistema.

Deixo bem claro que não assumo nenhuma responsabilidade pelo resultado. Faça-o por sua conta e risco.

A dica mais simples que encontrei, e que funcionou no Ubuntu ou derivadas, é a de baixo. Não testei em outras distribuições. Para implementá-la, abra um terminal e digite, na ordem:

$ sudo nano /etc/default/grub

Procure a linha "GRUB_CMDLINE_LINUX_DEFAULT" e acrescente o comando fastboot entre as aspas (" "):

ANTES
GRUB_CMDLINE_LINUX_DEFAULT="quiet splash"

DEPOIS
GRUB_CMDLINE_LINUX_DEFAULT="quiet splash fastboot"

Salve a alteração com "ctrl+o" e saia do editor de texto com "ctrl+x". Agora rode os comandos abaixo, na ordem:

$ sudo touch /fastboot
$ sudo update-grub

Reinicie seu isfenicídio e veja que a checagem desapareceu. Para revertê-la, basta retirar o fastboot da linha supra e rodar novamente o comando de atualização das configurações do grub.

Até a próxima dica!
;-))

terça-feira, 20 de setembro de 2016

Removendo metadados de imagens jpg e png no Debian e derivadas (parte II)

Na dica anterior expliquei como remover metadados com o uso do imagemagick. Hoje explicarei como fazê-lo usando o script em perl "libimage-exiftool-perl".

Relembrando que metadados são as informações inseridas no cabeçalho de imagem, que algumas pessoas desejam removê-los por questão de segurança:


O processo de instalação segue os mesmos passos daquela dica. Basta lê-la e repetir os passos, o que não será visto aqui. Depois de feito, basta seguir os passos abaixo, sempre como usuário comum:

a) remover metadados de um arquivo(*)
$ exiftool -all= -overwrite_original input_file

b) remover metadados de várias imagens jpg(**) de um diretório
$ exiftool -all= -overwrite_original -ext jpg

b) remover metadados de várias imagens jpg(**) de um diretório/subdiretórios
$ exiftool -all= -r -overwrite_original -ext jpg .

É só isso, sem complicações.

Até a próxima dica!
;-))

terça-feira, 6 de setembro de 2016

Corrigindo o erro "Unable to locate theme engine in module_path: "murrine" no linux

Se você notou erro igual ou parecido com este: "Gtk-WARNING **: Unable to locate theme engine in module_path: "murrine", etc etc etc", saiba que é fácil resolvê-lo.

Basta apenas que instale os pacotes gtk2-engines-murrinemurrine-themes segundo o procedimento padrão para sua distro, o que não será visto aqui. Para as distros baseadas no Debian, Ubuntu e derivadas, abra um terminal e faça:

DEBIAN
$ su - [+ ENTER]
# apt-get install gtk2-engines-murrine murrine-themes


UBUNTU
$ sudo apt-get install gtk2-engines-murrine murrine-themes

Até a próxima dica!
;-)

sábado, 27 de agosto de 2016

Corrigindo o erro "Error for wireless request "Set Power Management" (8B2C)" no linux

Sem maiores explicações técnicas, se você deseja habilitar o gerenciamento de energia de sua placa wifi no linux, chip atheros, deve fazer os procedimentos abaixo.

Em primeiro lugar, confirme se o chip de sua placa é realmente da atheros:

$ lspci | grep "Network controller"
03:00.0 Network controller: Qualcomm Atheros AR9485 Wireless Network Adapter...

$ lsmod | grep ath9k
ath9k                         143360  0
ath9k_common           36864  1 ath9k
ath9k_hw                  466944  2 ath9k_common,ath9k
ath                               32768  3 ath9k_common,ath9k,ath9k_hw
mac80211                 745472  1 ath9k
cfg80211                   573440  4 ath,ath9k_common,ath9k,mac80211

Localize a interface de rede wifi. Nas versões atuais das distros linux, exceto o Debian stable e derivadas, não é mais wlan0, wlan1 etc. Para saber, descubra com o comando:

$ iwconfig
wlp3s0    IEEE 802.11bgn  ESSID:off/any  
Mode:Managed  Access Point: Not-Associated   Tx-Power=0 dBm   
Retry short limit:7   RTS thr:off   Fragment thr:off
Power Management:off

Se você tentar ativar o gerenciamento de energia, aparecerá erro no terminal, porque as novas versões do kernel desabilitaram essa capacidade. Veja:

# iwconfig wlp3s0 power on
Error for wireless request "Set Power Management" (8B2C) :
SET failed on device wlp3s0 ; Operation not supported.

Para ativar o gerenciamento de energia, rode os comandos abaixo no terminal, na ordem:

UBUNTU E DERIVADAS (e outras distros com root desabilitado)
$ sudo rmmod -r ath9k
$ sudo modprobe ath9k ps_enable=1
$ sudo modprobe ath9k
$ sudo iwconfig wlp3s0 power on

DEBIAN E DERIVADAS (e outras distros linux)
$ su - [ENTER]
# rmmod -r ath9k
# modprobe ath9k ps_enable=1
# modprobe ath9k
# iwconfig wlp3s0 power on

Essa mudança é temporária. Para torná-la definitiva, adicione os comandos abaixo no arquivo /etc/rc.local:

# ativando gerenciamento de energia na rede wifi
rmmod -r ath9k
modprobe ath9k ps_enable=1
modprobe ath9k
iwconfig wlp3s0 power on


Pronto, problema resolvido.

Até a próxima dica!
;-)

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

LXDE: abrindo terminal no gerenciador de arquivos pcmanfm

Quem usa a interface gráfica LXDE, já percebeu que não existe a opção "Abrir terminal aqui", quando clica-se com o botão direito do mouse no pcmanfm.

Veja:


Como fazer então? Muito simples, basta ir até o diretório desejado e apertar a tecla F4, que o terminal abrirá no mesmo local:


Apertando F4:

Rode o comando "ls" para mostrar o conteúdo do diretório:


É isso aí pessoal. O LXDE é leve, e o recurso de ativar o terminal não existe no menu do pcmanfm. Mas você se acostuma, como eu me acostumei.

Até a próxima dica!
;-))

quarta-feira, 17 de agosto de 2016

Google-chrome congela lxde no linux

Tem um bug chato com google chrome e o gerenciador de janelas lxde: quando você clica no ícone, o navegador não abre ou, se o faz, congela a interface gráfica.

Se isso acontece com você no lxde, xfce ou qualquer gerenciador de janelas para linux, aqui vai a dica de como corrigi-lo.

Abra um terminal e digite o comando abaixo:

$ su -
# nano /usr/share/applications/google-chrome.desktop

Procure pela linha 109 (ou próxima a ela):

Exec=/usr/bin/google-chrome-stable %U

e substitua por:

Exec=google-chrome --disable-gpu %U

Agora vá para a linha 169 (ou próxima a ela):

Exec=/usr/bin/google-chrome-stable

e substitua da mesma forma:

Exec=google-chrome --disable-gpu %U

Agora é a vez da linha 222 (ou próxima a ela):

Exec=/usr/bin/google-chrome-stable --incognito

e substitua por:

Exec=/usr/bin/google-chrome --incognito --disable-gpu %U

Salve e pronto, problema resolvido.

Até a próxima dica!
;-))

domingo, 14 de agosto de 2016

Plugando sua tv em um notebook com linux e interface CINNAMON

Continuando a série de dicas, de como configurar um monitor externo no linux, hoje mostrarei como fazê-lo na interface gráfica cinnamon. Para quem não sabe, ela é uma skin para o gnome 3, de forma a torná-lo mais amigável.

Clique aqui para ler a dica de como fazê-lo na interface LXDE, onde explico detalhadamente cada parte do processo, o que não será feito aqui.

Usei o Debian jessie 8.5.0 com interface em inglês, e você deverá adaptar o processo para sua distribuição.


Use o mesmo cabo HDMI para conectar os aparelhos, com uma ou duas telas simultaneamente. O servidor gráfico utilizado é o X.org; o de som, pulseaudio.

Instale o pulseaudio segundo o procedimento padrão para sua distro. Para Ubuntu, Debian e derivadas, faça como mostro abaixo (em uma só linha, ignorando o sinal "\"):

UBUNTU E DERIVADAS
$ sudo apt-get install gstreamer0.10-pulseaudio gstreamer1.0-pulseaudio \
   libcanberra-pulse pavucontrol paman pulseaudio-esound-compat \
   pulseaudio-module-bluetooth pulseaudio-module-jack pulseaudio-module-x11 \
   pulseaudio-utils

DEBIAN E DERIVADAS
$ su - [+ ENTER]
$ sudo apt-get install gstreamer0.10-pulseaudio gstreamer1.0-pulseaudio \
   libcanberra-pulse pavucontrol paman pulseaudio-esound-compat \
   pulseaudio-module-bluetooth pulseaudio-module-jack pulseaudio-module-x11 \
   pulseaudio-utils

Para começar, abra a configuração do sistema do cinnamon:



Ligue e conecte a tv na entrada HDMI do computador. Depois clique no ícone do monitor:


O monitor externo foi detectado e apresenta-se espelhado. Para configurá-lo externamente, basta desmarcar a opção abaixo:


Clique em cada um dos monitores para configurá-los separadamente, incluindo habilitando ou não qualquer um deles:



Quando terminar os ajustes, clique em "Aplicar" e depois salve as alterações, em "Manter as configurações":


CONFIGURANDO O SOM

Volte nas configurações do sistema e clique no botão do som:


Na interface cinnamon, a saída de som na entrada HDMI foi automaticamente detectada e configurada. Você pode testá-la para ver se está tudo em ordem:



As outras abas permitem a configurações extras, o que foge do objetivo desta dica. Aproveite este recurso no cinnamon e boa diversão.

Até a próxima dica.
;-)

quarta-feira, 10 de agosto de 2016

Acelerando a abertura do google chrome no linux

Não sei se ocorre em todas as distros, mas no Ubuntu e derivadas o google chrome demora uma "eternidade" para abrir, obviamente dependendo do seu conceito de eternidade. rsrsrs

Na dica de hoje explico como fazê-lo abrir mais rápido, apenas carregando-o em segundo plano, sem interface gráfica, até que precise utilizá-lo.

Se deseja habilitar esse recurso para todos os usuários, abra um terminal e rode o comando abaixo, onde você utilizará seu editor de texto preferido (ETP):

UBUNTU E DERIVADAS
sudo ETP /etc/xdg/autostart/chrome-background.desktop

DEBIAN E DERIVADAS, exceto a anterior
su - +[ENTER]
ETP /etc/xdg/autostart/chrome-background.desktop

OUTRAS DISTROS, igual anterior
ETP /etc/xdg/autostart/chrome-background.desktop

Acrescente o conteúdo abaixo e salve:

[Desktop Entry]
Name=Google chrome em segundo plano
Comment=Google chrome em segundo plano
Exec=google-chrome --no-startup-window
Terminal=false
Type=Application

Caso deseje o recurso habilitado apenas para seu espaço de usuário, faça o procedimento desta forma: abra um terminal, como usuário comum, utilizando seu editor de texto preferido (ETP):

ETP ~/.config/autostart/chrome-background.desktop

E acrescente o texto abaixo, salvando em seguida:

[Desktop Entry]
Name=Google chrome em segundo plano
GenericName=Google chrome em segundo plano
Comment=Google chrome em segundo plano
Exec=google-chrome --no-startup-window
Terminal=false
Type=Application
StartupNotify=false

Agora reinicie a interface gráfica para ativar este recurso. Você não notará nada no sistema, nada será mostrado ou notificado. Mas notará que o browser abrirá mais rápido.

Até a próxima dica!
;-)

quarta-feira, 3 de agosto de 2016

Ativando teclado Fn+som no Lubuntu

Na dica de hoje explico como ativar o teclado Fn + som no Lubuntu, ubuntu com lxde. Creio que funcione com o Debian e outras distros linux com a mesma interface gráfica.

Para quem não sabe, Fn+som são os teclados abaixo, cujas posições pode variar de acordo com o fabricante:


O controle combinado de Fn+som necessita do programeto amixer, que vem por padrão no pacote alsa-utils. Instalado, bote uma música para tocar e experimente este recurso. Facilita em muito sua vida.

Até a próxima dica!
;-))

domingo, 31 de julho de 2016

Plugando sua tv em um notebook com linux e interface MATE

Nas dicas anteriores mostrei como plugar uma tv nas interfaces LXDE e XFCE. Hoje explico como fazê-lo no MATE. Usei o Debian jessie 8.5.0 com interface em inglês, e você deverá adaptar o processo para sua distribuição.

Começamos da mesma forma que nas vezes anteriores, com um cabo HDMI conectando os aparelhos. O servidor gráfico utilizado também é o X.org; e o de som, pulseaudio.

Instale o pulseaudio segundo o procedimento padrão para sua distro. Para Ubuntu, Debian e derivadas, faça como mostro abaixo (em uma só linha, ignorando o sinal "\"):

UBUNTU E DERIVADAS
$ sudo apt-get install gstreamer0.10-pulseaudio gstreamer1.0-pulseaudio \
   libcanberra-pulse pavucontrol paman pulseaudio-esound-compat \
   pulseaudio-module-bluetooth pulseaudio-module-jack pulseaudio-module-x11 \
   pulseaudio-utils

DEBIAN E DERIVADAS
$ su - [+ ENTER]
$ sudo apt-get install gstreamer0.10-pulseaudio gstreamer1.0-pulseaudio \
   libcanberra-pulse pavucontrol paman pulseaudio-esound-compat \
   pulseaudio-module-bluetooth pulseaudio-module-jack pulseaudio-module-x11 \
   pulseaudio-utils

Conecte o cabo HDMI em seu notebook e na tv, e ligue-os. Vá no menu iniciar do MATE e procure pelo aplicativo de configuração do monitor:


O aplicativo detectou a tv , que tem a mesma imagem do laptop, porque a opção de mostrá-la simultaneamente está selecionada:


Desmarcando a opção, os dois monitores aparecem, e pode-se alterar a posição dos mesmos com o ponteiro do mouse:




A próxima opção habilita um applet na barra de tarefas, facilitando a alteração entre os monitores:


Ative um monitor clicando a opção "On" (em inglês) ou equivalente em sua língua:


Clique num monitor e edite as configurações, se necessário:


Feita uma configuração, basta seguir os passos abaixo para validá-la: "aplicar""tornar padrão" e "ok":


CONFIGURAÇÃO DO SOM

De idêntica forma, clique no applet de som com o botão direito do mouse e selecione a saída HDMI na aba "Aplicativos". O MATE foi a única interface até agora que configurou automaticamente a saída para a tv:



Aí está o MATE utilizando dois monitores:


Até a próxima dica!
;-))

quinta-feira, 28 de julho de 2016

Plugando sua tv em um notebook com linux e interface XFCE

Na dica anterior expliquei como conectar sua tv no linux, com interface LXDE. Na de hoje, você verá como fazê-lo na interface XFCE. Usei o Debian jessie 8.5.0 com interface em inglês, e você deverá adaptar o processo para sua distribuição.

Use o mesmo cabo HDMI para conectar os aparelhos, com uma ou duas telas simultaneamente. O servidor gráfico utilizado é o X.org; o de som, pulseaudio.

Instale o pulseaudio segundo o procedimento padrão para sua distro. Para Ubuntu, Debian e derivadas, faça como mostro abaixo (em uma só linha, ignorando o sinal "\"):

UBUNTU E DERIVADAS
$ sudo apt-get install gstreamer0.10-pulseaudio gstreamer1.0-pulseaudio \
   libcanberra-pulse pavucontrol paman pulseaudio-esound-compat \
   pulseaudio-module-bluetooth pulseaudio-module-jack pulseaudio-module-x11 \
   pulseaudio-utils

DEBIAN E DERIVADAS
$ su - [+ ENTER]
$ sudo apt-get install gstreamer0.10-pulseaudio gstreamer1.0-pulseaudio \
   libcanberra-pulse pavucontrol paman pulseaudio-esound-compat \
   pulseaudio-module-bluetooth pulseaudio-module-jack pulseaudio-module-x11 \
   pulseaudio-utils

Após conectar o cabo HDMI em seu notebook e na tv, ligue esta última. Vá no menu iniciar do XFCE e procure pelo aplicativo de configuração do monitor:


Veja que somente o do laptop está habilitado, embora o aplicativo detecte a tv:



Ative o monitor da tv, clicando no botão abaixo. A imagem é compartilhada automaticamente. Para desabilitar o notebook, desmarque a opção abaixo:


Agora configure a saída do som para a entrada HDMI, transferindo-o para a tv. Procure controle de volume do pulseaudio, o pavucontrol:


Vá na aba "Configuração" e selecione a saída apropriada. Para descobrir qual é, bote uma música ou um filme para tocar e teste as saídas disponíveis:



Veja o resultado. Funcionando normalmente!


Até a próxima dica!
;-))

terça-feira, 26 de julho de 2016

Estamos com grupo no Telegram



Estamos com grupo no telegram, em português.
Um espaço para discussão sobre linux.
Não importa o "quanto" domine sobre o assunto,
faça parte de nosso grupo. ;-P

https://telegram.me/dicasDElinux


domingo, 24 de julho de 2016

Plugando sua tv em um notebook com linux e interface LXDE

Na dica de hoje, explico como conectar sua tv em um notebook com lxde. Usarei por base o Lubuntu, mas você poderá experimentar em qualquer linux, desde que faça as devidas adaptações, o que não será visto aqui.

Usaremos um cabo HDMI para conectar os aparelhos, o que facilita muito as coisas. Você poderá usar as duas telas simultaneamente, ou apenas uma delas, segundo suas necessidades. O servidor gráfico utilizado é o X.org; o de som, pulseaudio.

Primeiramente instale os pacotes responsáveis pela configuração do som, o pulseaudio. Passarei os do Ubuntu e Debian. Nas demais distros, procure os equivalentes e instale-os segundo os procedimentos padronizados para elas.

Abra um terminal e digite (em uma só linha, ignorando o sinal "\"):

UBUNTU E DERIVADAS
$ sudo apt-get install gstreamer0.10-pulseaudio gstreamer1.0-pulseaudio \
   libcanberra-pulse pavucontrol paman pulseaudio-esound-compat \
   pulseaudio-module-bluetooth pulseaudio-module-jack pulseaudio-module-x11 \
   pulseaudio-utils

DEBIAN E DERIVADAS
$ su - [+ ENTER]
$ sudo apt-get install gstreamer0.10-pulseaudio gstreamer1.0-pulseaudio \
   libcanberra-pulse pavucontrol paman pulseaudio-esound-compat \
   pulseaudio-module-bluetooth pulseaudio-module-jack pulseaudio-module-x11 \
   pulseaudio-utils

Localize a entrada HDMI no seu notebook:


Agora, na sua tv:


Separe um cabo HDMI como este:


Conecte o cabo no notebook:


E a outra ponta na tv:


Agora veremos as configurações de som, fornecidas pelo pulseaudio. Clique no ícone de som, na barra de tarefas, com o botão direito do mouse:


A aba "Reprodução" controla o som no sistema, como nas aplicações em uso:


A aba "Gravando", os aplicativos que façam uso do microfone:


A aba "Dispositivos de saída" direciona a saída do som:


A aba "Dispositivos de entrada" seleciona a captura do som:


Na aba "Configuração" você escolherá a saída de som na tv ou notebook:


Veja um exemplo de opções de saída na porta HDMI, que pode ser diferente pra você: 


Para terminar, o último detalhe: veja na imagem abaixo o aplicativo onde se configura os dois monitores. É nele que iremos trabalhar:


Veja as opções disponíveis na aba "Opções rápidas". Nelas você determina como serão exibidas as imagens, se nos dois ou em um monitor:


O pulo do gato está na aba "Avançado", onde deve-se ativar a tv na entrada HDMI do notebook. Sem isso, não aparecerá imagem deste na tv:


Chega de lero-lero. Mãos na massa! Com sua tv conectada ao notebook, ligue-a e selecione a porta HDMI nas configurações daquela:


Aparecerá uma tela preta, é normal.


Vá em "Configurações do monitor" -> aba "Avançado" e ative a entrada HDMI. Clique em "Aplicar" que a imagem aparecerá na tv. Depois clique em "Salvar":



Pronto! A partir desse momento, você tem saída dupla da imagem, como pretendido. Tudo que aparecer no notebook, estará simultaneamente na sua tv.


Volte no aplicativo "Configurações do monitor" -> aba "Opções rápidas" e veja as que o menu lhe oferece. Ele é autoexplicativo. Se você deseja assistir filmes no netflix, google filmes ou similar, desative a tela do notebook e assista somente pela tv.

CONFIGURAÇÕES DO SOM

Se tudo deu certo até aqui, a imagem estará onde você deseja, mas o som saíra nos autofalantes do notebook. Para configurá-lo na sua tv, basta colocar um filme ou uma música e escolher as opções no menu do pulseaudio -> aba "Configuração":



Selecione uma das opções com "HDMI" até que o som saia na tv. Feche o aplicativo e curta o que o linux lhe dá de melhor. Ah! Essa configuração é permanente.


Até a próxima dica!
;-)